Home Brasil + Mundo 10% dos envolvidos em acidentes de trânsito por embriaguez morrem em SP

10% dos envolvidos em acidentes de trânsito por embriaguez morrem em SP

A taxa de mortalidade em acidentes com suspeita de embriaguez é mais que o triplo do índice geral de mortalidade no trânsito no Estado
by Agência Brasil

O Estado de São Paulo registrou 5.701 acidentes de trânsito supostamente causados por embriaguez, entre janeiro de 2019 e julho de 2020. Em 551 deles houve mortes.

Segundo o primeiro estudo sobre causa de acidentes, elaborado pelo “Respeito à Vida”, programa da Secretaria de Governo do Estado de São Paulo, gerenciado pelo Detran.SP, a taxa de mortalidade em acidentes com suspeita de embriaguez é mais que o triplo do índice geral de mortalidade no trânsito no Estado, de 3%: chega a 10%.

O levantamento abrange as ocorrências com vítimas registradas pela Polícia Militar baseadas nas infrações aos artigos 306 e 307 do CTB (Código de Trânsito Brasileiro), que tratam de dirigir sob a influência de álcool e recusa ao teste do bafômetro.

“Chama a atenção a faixa etária dos mortos. Temos 55% entre 18 e 24 anos. E dentro deste perfil, nas ocorrências com suspeita de embriaguez, as mortes acontecem mais nas cidades do que nas rodovias. São características que começam a dar o entendimento do perfil dessas pessoas, os horários, locais e as formas como isso está acontecendo, e passa a ser uma análise comportamental”, afirma o diretor-presidente do Detran-SP, Ernesto Mascellani Neto.

“O Detran tem um papel de conscientização, de incrementar a fiscalização e organizar ações pontuais onde há a maior concentração do problema. A Semana Nacional do Trânsito, que começa agora, fará alguns debates”, diz.

Para Dante Rosado, coordenador da Iniciativa Bloomberg de Segurança Viária Global, o consumo de bebida alcoólica vem sendo estimulado.

“Culturalmente, a bebida é vista como uma coisa boa na sociedade e mudar esse comportamento é difícil. A lei seca tem 12 anos, mas é pouco tempo para essa mudança. Além da conscientização, precisamos de fiscalização e punição”, afirma Rosado.

Ele cita a pesquisa Vigitel, do Ministério da Saúde, segunda a qual, no Brasil, 12% dos entrevistados afirmaram que têm o hábito de beber e dirigir.

A multa para quem é autuado por beber e dirigir é de R$ 2.934,70.

Sugestões

Deixe um comentário

Pin It on Pinterest

Share This