Home Destaque Acusado de ‘sequestro’ da garota Emily ficará preso até julgamento

Acusado de ‘sequestro’ da garota Emily ficará preso até julgamento

Apontado como autor do crime, Paulo César Santos teve a prisão temporária convertida em preventiva
by Claudete Campos

A Justiça converteu a prisão temporária de Paulo César da Silva Santos, 27, em prisão preventiva, ou seja, ele ficará preso até o julgamento do caso do suposto sequestro, cárcere privado e abuso sexual da menina Emily Bello Soares da Silva, 11. As investigações já foram concluídas e o caso já foi relatado à Justiça. Em nota, a SSP (Secretaria de Segurança Pública) informou ao TODODIA que o caso foi investigado pela DDM (Delegacia de Defesa da Mulher) de Santa Bárbara d’Oeste, cidade onde reside a vítima. 

“Após a localização do local do cativeiro por policiais da DIG (Delegacia de Investigações Gerais) de Americana, no dia 10/07, o autor, de  27 anos, se apresentou na unidade e foi preso temporariamente. Posteriormente, a prisão foi convertida em preventiva e o inquérito foi relatado à Justiça”, informa a SSP. 

  • Facebook
  • Twitter
  • LinkedIn
  • Pinterest

NA DELEGACIA | O acusado do sequestro, Paulo César da Silva Santos, que foi preso
(Foto: Ernesto Rodrigues | TodoDia Imagem)

A menina desapareceu de casa, no Jardim Europa, no dia 5 de julho, após subir na moto do acusado, com quem conversava pelas redes sociais. Diante da repercussão nacional do desaparecimento, ela foi solta pelo autor na quinta-feira (9), e seguiu até um posto de combustível, na Praia Azul, em Americana, onde foi reconhecida e acionada a polícia. 

Após ser submetida a exames para comprovar o suposto estupro, a menina prestou depoimento e ajudou a localizar o cativeiro no dia 10 de julho, em um condomínio na região do Maria Antonia, em Sumaré. Neste dia também foi identificado o autor do suposto sequestro. 

No dia 13 de julho, o acusado se entregou com três advogados na DIG, que ajudou nas investigações. No mesmo dia foi emitida a prisão temporária por 30 dias do acusado. Posteriormente, a temporária foi convertida em preventiva. O acusado foi preso na Cadeia Pública de Monte Mor. 

FAMÍLIA 

A família tenta se reerguer depois do ocorrido. “Não conseguimos aceitar o que aconteceu. É muito difícil principalmente para ela e para nós”, admite a mãe da menina, Tielli Bello. “Estou à espera de justiça”, disse Tielli. O acusado já havia dito por meio dos seus advogados que não sabia que a menina tinha 11 anos e que ela havia usado um perfil fake nas redes de relacionamento, dizendo que era maior. Ele negou que tenha mantido a menina em cárcere privado. 

O advogado do acusado, Marcelo Rosa Maia, informou que seu cliente estava com “pensamentos suicidas” e que a família dele se dispunha a pagar o tratamento psicológico da menina, que já é acompanhada por profissional.   

Na tarde desta quarta-feira, um dos advogados do indiciado, Marco Antonio dos Santos, disse que pretende entrar com pedido de liberdade do seu cliente, uma vez que a prisão temporária de 30 dias expira no próximo dia 13. “O pedido de relaxamento (da prisão) é necessário e é o que a defesa tem buscado”, alegou Santos. “Há presunção de inocência de todo cidadão brasileiro, o que está disposto no artigo 5º da Constituição Federal”, comentou. 

Sugestões

Deixe um comentário

Pin It on Pinterest

Share This