Home Cidades Americana tem veto ao retorno em 100% das escolas estaduais

Americana tem veto ao retorno em 100% das escolas estaduais

Nenhuma das 40 unidades da cidade atingiu os 35% de aprovação para retomada das aulas presenciais
by Pedro Heiderich

Pais e alunos de todas as 40 escolas estaduais de Americana rejeitaram a volta às aulas presenciais neste ano letivo. As pesquisas foram concluídas na quinta-feira (29), segundo o diretor regional de ensino da região, professor Haroldo Ramos Teixeira. Decreto de 29 de setembro permite a volta das aulas em escolas estaduais e particulares a partir de terça-feira (3) desde que com aprovação de 35% dos pais. 

“No momento, não há interesse das escolas estaduais de Americana de retomar a aula presencial”, afirmou. Na região coberta pela diretoria de ensino, que inclui Santa Bárbara d’Oeste e Nova Odessa, dez escolas estaduais já retornaram as aulas presenciais. Os dois municípios seguiram o governo do Estado e deram autonomia a cada escola estadual para decidir pela volta desde 7 de outubro. 

Segundo Haroldo, a experiência tem sido positiva. “A retomada está acontecendo de forma gradual, com prioridade no ensino médio regular e todas as outras séries podem participar com reforço e recuperação. Estamos bem devagar, com muita cautela, dentro das normas e protocolos”, disse. 

São oitos escolas em Santa Bárbara e duas em Nova Odessa que retornaram com aulas de reforço e recuperação com foco em aulas de português e matemática. Mais cinco escolas de Santa Bárbara reiniciam as aulas na terça (3). 

“Foi muito positiva a resposta dos alunos. Gostaram de poder voltar, e vão ganhar mais segurança com o tempo para retornar com mais tranquilidade. Nosso objetivo é que até o final do ano tenha mais alunos e irmos voltando aos poucos, com segurança”, encerra Haroldo. 

De acordo com o governo do Estado, 11 das 26 escolas da rede estadual de Hortolândia e 18 das 36 de Sumaré retomaram as aulas presenciais. Oito de 34 voltaram em Santa Bárbara e duas de seis em Nova Odessa. 

Assim, na região, 49 de 144 escolas voltaram as aulas presenciais, aproximadamente um terço, sendo que nenhuma das 40 de Americana atingiu o índice necessário para retornar. 

ONDE VOLTA ACONTECE, APREENSÃO  

O Colégio Cristão Único, no Nova Americana, é uma das escolas particulares que estão entre as que voltam com as aulas presenciais. O resultado da pesquisa dos pais foi de 62%, quase o dobro do necessário. A advogada Camila Pilotto Galho, mãe de Mateus, de 8 anos, que está no 3º ano do ensino fundamental da escola, relatou a apreensão com o retorno. 

“Estou muito apreensiva, para ser bem sincera. Com certeza os pais estão sofrendo mais que os filhos”, conta Camila. O ex-marido dela teve coronavírus e a família ficou em isolamento por 14 dias. O episódio serviu para Mateus compreender a situação. “Ele não queria aceitar que não podia ver ninguém, mas hoje entende, usa máscara quando necessário”. 

Mateus diz que não está ansioso para voltar a estudar. “Ele disse que a única coisa boa é que vai voltar o dia do brinquedo e ele poderá brincar com os amigos, mesmo que seja um pouco distante”, conta a mãe. 

Advogada, Camila voltou a trabalhar home-office recentemente e relatou a dificuldade de conciliar com as aulas online de Mateus. “Não dá para fazer chamada de vídeo com cliente com o filho pedindo ajuda na tarefa. Mas, mesmo assim, a sensação de impotência é gigante. Óbvio que eu gostaria de poder jogar tudo para o alto e ficar com meu filho para dar a ele o respaldo educacional necessário, mas não dá, tenho que trabalhar”.  

PELO MENOS 4 PARTICULARES PREPARADAS 

Pelo menos quatro escolas particulares de Americana retomam as aulas presenciais nesta terça-feira (3). Decreto de 29 de setembro assinado pelo prefeito Omar Najar (MDB) permite a retomada das aulas presenciais em escolas estaduais e particulares desde que haja aprovação de 35% dos pais. As aulas da rede municipal seguem remotas até 2021. 

Em 23 de outubro, a Secretaria de Educação de Americana informou que nove escolas particulares demonstraram interesse em retomar as aulas presenciais a partir do dia 3 de novembro e quatro delas já entregaram a documentação completa. A reportagem questiona desde quinta-feira (28) a atualização deste número, sem resposta. 

O Colégio Moraes já havia atingindo os 35% necessário desde 10 de outubro e se prepara desde então para a retomada. A diretora pedagógica do colégio, Maressa Camargo, falou com a reportagem. “Estamos prontos. Todos os protocolos de segurança foram aplicados e aprovados. Nossos colaboradores passaram, nesta semana, por um treinamento sobre o protocolo de segurança de volta às aulas”, contou. 

  • Facebook
  • Twitter
  • LinkedIn
  • Pinterest

COLÉGIO MORAES | Medidas estão sendo implantadas para a volta presencial às aulas (Foto: Divulgação)

A escola fez reunião virtual com as famílias dos alunos “para reforçarmos as informações já enviadas anteriormente sobre os protocolos de segurança. Os pais se demonstraram satisfeitos e seguros”, disse Maressa. 

Segundo o Estado, a reabertura deve respeitar limites máximos de alunos e protocolos sanitários. Nas redes privadas, a educação infantil e os anos iniciais do ensino fundamental podem ter até 35% dos alunos por dia em atividades presenciais. Para os anos finais dos ensinos fundamental e médio, o limite máximo é de 20%.  

PARA APEOESP, RETORNO AGORA É ARRISCADO 

Zenaide Honório, diretora estadual da Apeoesp (Sindicato dos Professores do Ensino Oficial do Estado de São Paulo) em Americana, afirma que há um recuo das escolas. 

“A gente sabe que há pressão para que voltem as aulas, mas a ampla maioria dos pais não quer mandar os filhos para a escola. Estamos terminando o ano, iniciando novembro, que diferença vai fazer voltar agora? Não é momento, ainda estamos em uma pandemia”, afirmou. 

Zenaide destacou que o Brasil não saiu nem da primeira onda de coronavírus e o mundo já está se preparando para uma segunda onda da doença. 

“É muito preocupante, tem professores com idades de risco, com comorbidades, que estão em contato com pessoas do grupo de risco e tem trajeto casa-escola, mais gente na rua, esse vírus vai transitar”, opinou. 

A diretora do sindicato comentou o fato de nenhuma das 40 escolas estaduais de Americana ter atingido aprovação de 35% dos pais para o retorno. 

“Americana foi a única da região que colocou esta condição. Tem escola que já fez três consultas e os pais não aderem. Porque se disser sim tem que mandar o filho. Temos que preservar a vida”, afirmou. 

POLITEC TAMBÉM NÃO VOLTA  

Conforme noticiado pelo TODODIA na semana passada, pelo menos quatro das mais tradicionais escolas da cidade (Dom Bosco, Colégio Ilimit, Instituto Educacional de Americana e Anglo Cezanne) já tiveram a volta das aulas descartadas pelos pais. 

Nesta semana, na quarta-feira (28), o Colégio Politec, outra das escolas particulares mais tradicionais da cidade, informou em nota aos alunos, pais, professores e funcionários que a pesquisa junto aos pais feita em outubro não atingiu os 35% necessários para a retomada presencial. 

“Portanto as aulas presenciais do ano letivo de 2020 não ocorrerão, continuando remotamente. Oportunamente enviaremos novas orientações”, diz a nota enviada aos pais. 

Sugestões

Deixe um comentário




Enter Captcha Here :

Pin It on Pinterest

Share This