Home Manchete Coronavírus deixa região em alerta

Coronavírus deixa região em alerta

Planos emergenciais têm leitos à disposição e equipes treinadas para a identificação e o acompanhamento
by Rogério Verzignasse

O anúncio da pandemia do coronavírus altera o cotidiano da região e faz com que os municípios adotem medidas preventivas para o enfrentamento de um possível surto local.

Americana engaja no debate pais e alunos das escolas das redes municipal e estadual. Nova Odessa criou um protocolo especial para o atendimento de pacientes, com a ação de servidores treinados.

Hortolândia formou uma equipe especial de abordagem a possíveis contaminados, e definiu um plano de ações imediatas na confirmação de casos.

A Unicamp (Universidade Estadual de Campinas) determinou a suspensão de todas as suas atividades até o final do mês, e decidiu apenas manter o atendimento em áreas estratégicas de atendimento ao público, como o Hospital de Clínicas.

Administradores públicos adotam discursos cautelosos, e sem fazer alarde procuram deixar claro que estão preparados para o enfrentamento de ocorrências. O tema ganha força e deve fazer parte da reunião do Conselho de Desenvolvimento da Região Metropolitana de Campinas, marcada para o dia 17, em Campinas.

ESCOLAS

A coordenação da Vigilância Epidemiológica de Americana se reuniu com representantes da rede de ensino ontem (12) para definir estratégias de informação e orientação aos alunos das escolas públicas municipais e estaduais.

A reunião foi conduzida pela coordenadora da Vigilância, Simone Maciel, e contou com a participação de dirigentes e membros do Conselho Municipal de Educação.

Será intensificada a orientação relacionada à prevenção da doença junto aos alunos, pais e funcionários, por meio de informe elaborado em conjunto com a Vigilância em Saúde. Também ficou definido que os alunos com quadro gripal devem permanecer em casa até o fim dos sintomas.

Até o momento não há orientação para a suspensão de atividades escolares, mas as autoridades continuam acompanhando a evolução dos casos no País e irão adotar as eventuais medidas que venham ser determinadas pelo governo federal ou pelo estadual.

ATENDIMENTO

Nova Odessa adotou um novo protocolo de atendimento com foco na identificação de possíveis suspeitas de infecção pelo coronavírus.

Os profissionais que atuam no acolhimento das UBS (Unidades Básicas de Saúde) e no Hospital Municipal Dr. Acilio Carreon Garcia fazem entrevistas com cada paciente, e tentam descobrir se eles estiveram submetidos a riscos (como o contato com quem esteve em áreas afetadas).

O conjunto de medidas ainda prevê leitos para isolamento especial de eventuais infectados no hospital.

Os pacientes que apresentam sintomas leves e estiverem submetidos ao risco de contaminação recebem máscara e são orientados a permanecer em casa.

“O isolamento social e o tratamento dos sintomas são acompanhados pelos servidores da saúde”, explica a coordenadora da Vigilância Epidemiológica, Paula Mestriner.

Casos mais graves, que venham a exigir internação, são encaminhados imediatamente ao hospital, onde os paciente são cuidados em isolamento.

Médicos e enfermeiros da rede municipal estão recebendo orientação sobre o uso de máscaras para contato com pacientes com suspeita da doença.

Hortolândia treinou e mobiliza uma equipe de dez agentes de saúde – técnicos da Vigilância em Saúde, enfermeiros e assistentes sociais para o atendimento de pacientes suspeitos de contaminação, e tem definido um plano de ações emergenciais para o isolamento, tanto no hospital público da cidade, o Mário Covas, como no privado, Samaritano.

Todas as 17 unidades básicas de saúde estão preparadas para identificar sintomas e orientar os pacientes, segundo a prefeitura.

“Os sintomas causados pelo coronavírus são muito semelhantes aos da gripe, aos do resfriado. A complicação respiratória é que deve deixar as equipes em alerta”, diz o diretor da Vigilância em Saúde, Antônio Stivalli.

Sugestões

Deixe um comentário

Pin It on Pinterest

Share This