Home Brasil + Mundo Covid-19: ainda concentrada na capital, doença se espalha pelo estado de São Paulo

Covid-19: ainda concentrada na capital, doença se espalha pelo estado de São Paulo

Há mortes provocadas pelo coronavírus confirmadas em 14 das 16 regiões administrativas paulistas
by Folhapress

As mortes provocadas pela pandemia do novo coronavírus já se espalharam em quase todas as regiões administrativas de São Paulo, mas a capital ainda concentra 75% dos óbitos. 

Levantamento feito pela reportagem a partir de dados divulgados pela Secretaria de Estado da Saúde mostram que até esta segunda-feira (13) há mortes provocadas pela Covid-19 confirmadas em 14 das 16 regiões administrativas paulistas. Em outra delas, há dois óbitos em investigação. 

O estado de São Paulo tem 609 mortes confirmadas da doença, distribuídas em 65 de seus 645 municípios. No total, há 8.895 casos da Covid-19 em 167 cidades. 

A região metropolitana de São Paulo concentra 543 mortes pela doença, 456 delas ocorridas na capital. Na sequência aparecem Guarulhos, com 17 óbitos, e Osasco, com 11. 

Após a região metropolitana, a região administrativa de Campinas figura como a que apresenta até aqui o maior número de mortes confirmadas, 21, com 5 mortes em Bragança Paulista e outras 5 na cidade de Campinas. Também houve óbitos em Águas de Lindoia, Americana (3), Itatiba, Jundiaí, Mococa, Mogi Guaçu, Nova Odessa, Piracicaba e Rio Claro. 

Depois, aparecem as regiões administrativas de Santos e Ribeirão Preto, com 8 mortes em cada uma. No litoral, 6 das mortes foram registradas em Santos, enquanto Praia Grande registrou outras 2. 

Na região administrativa de Ribeirão Preto são 8 as mortes confirmadas, distribuídas em três cidades: 4 em Ribeirão, 2 em Jaboticabal e 1 em Cravinhos e 1 em Monte Alto –esta última confirmada nesta segunda. 

Dos quatro óbitos de Ribeirão, três são de homens, com 36, 57 e 76 anos, e uma mulher, de 89 anos. Apenas um não tinha notificação de comorbidades –o paciente de 76 anos. 

Há 178 casos confirmados da doença na cidade, conforme boletim epidemiológico divulgado pelo departamento de Vigilância em Saúde. 

As duas últimas mortes em decorrência da doença foram registradas no dia 4 pela prefeitura, que implantou um sistema de fiscalização para tentar coibir estabelecimentos que estão furando as medidas de isolamento social. 

“Fechamos na sexta-feira [10] 19 locais, a maioria deles bares servindo bebidas no local, o que não é permitido”, afirmou o prefeito de Ribeirão Preto, Duarte Nogueira (PSDB). 

Entre sábado (11) e domingo, foram encontrados outros 43 locais abertos irregularmente, segundo o prefeito. 

As regiões de Sorocaba e Presidente Prudente aparecem na sequência, com 6 óbitos em cada uma, seguida por São José dos Campos, com 5. Dessas mortes, duas ocorreram no litoral norte, em São Sebastião e Caraguatatuba. 

Na região central do estado, que tem quatro mortes já confirmadas, nesta segunda uma mulher foi detida por ter descumprido decreto de isolamento social em Araraquara. A cidade tem um óbito registrado. 

Ela estava na praça dos Advogados, no bairro Vila Harmonia, quando foi questionada por guardas municipais. A mulher criticou a política de isolamento, argumentando que o “circo de coronavírus” foi armado para “implantar uma ditadura comunista” no país. Algemada por guardas, foi levada à Polícia Civil, onde prestou depoimento e foi liberada. 

As outras três mortes na região central ocorreram em São Carlos (2) e Porto Ferreira. A última região administrativa a confirmar mortes foi a de Franca, que neste domingo (12) confirmou o óbito de um fisioterapeuta de 34 anos, que estava internado no Hospital do Coração da cidade desde a última quinta-feira (9). 

Foi o primeiro óbito confirmado em sua região, mas a Prefeitura de Franca considera o caso como importado, já que o profissional de saúde morava e trabalhava em São Tomás de Aquino (MG), cidade distante 50 km. 

O fisioterapeuta foi à cidade para fazer o exame de coronavírus e, já em Franca, passou mal e precisou ser internado. Há, ainda, outras duas mortes em investigação na cidade, uma delas de um morador de rua que apresentava febre alta e muita tosse, além de sete casos confirmados da doença. 

As duas únicas regiões administrativa sem mortes confirmadas até agora são as de Barretos e de Itapeva. Na região de Barretos, porém, há dois óbitos em investigação. 

Mesmo sem mortes confirmadas, a região de Itapeva não está livre da doença. Já foram registrados dois casos da Covid-19 em Itapeva e Itararé, em uma região composta de 32 municípios. 

Sugestões

Deixe um comentário

Pin It on Pinterest

Share This