PUBLICIDADE

PUBLICIDADE

Deic prende cinco traficantes com 198,5 kg de maconha

Segundo a Polícia, o carregamento pertencia a uma organização criminosa que age dentro e fora dos presídios

Policiais do Deic (Departamento Estadual de Investigações Criminais) prenderam em Campinas cinco homens – um deles procurado por roubo – com 200 “tijolos” de maconha, totalizando 198,5 quilos da droga. Segundo a Polícia, o carregamento pertencia a uma organização criminosa que age dentro e fora dos presídios.

PUBLICIDADE

As prisões e a apreensão dos entorpecentes, que estavam em um compartimento secreto de uma carreta, foram no domingo (19).

O local era um “centro de distribuição” de drogas de Campinas para a Capital do Estado.

PUBLICIDADE

Segundo a Polícia, a ação que resultou nas prisões e na grande apreensão de drogas foi resultado de uma apuração desenvolvida havia 15 dias por policiais da 6ª Delegacia Patrimônio (Investigações sobre Facções Criminosas).

A equipe conseguiu informações sobre um “entreposto” em Campinas, onde eram entregues grandes carregamentos de maconha, vindos possivelmente do Paraguai pela fronteira com o Mato Grosso, para distribuição no eixo Campinas-São Paulo.

PUBLICIDADE

O alerta de que haveria grande entrega de droga no atacado surgiu para o Deic na noite do sábado (18) e foi o start para os policiais entrarem em ação.

Os policiais então descobriram o local onde acontecia o carregamento. O cerco foi realizado em barracão da Avenida Comendador Aladino Selmi, na Vila San Martin, limite de Campinas com Sumaré.

No local foram presos Romildo Aparecido Amâncio, procurado por roubo, Jean Carlis de Oliveira, Mateus Souza Ribeiro, Marco Aurélio de Souza Nunes e Eduardo Fernando de Melo.

A droga estava em um compartimento secreto de um caminhão Mercedes-Benz, tipo baú, sendo que o acesso ao local onde estava a droga era feito pelo teto.

Segundo o delegado Fabio Bolzani, titular da 6ª Patrimônio, a droga pertencia a uma organização criminosa que matinha o depósito em Campinas e a distribuição era feita na Região Metropolitana de São Paulo.

Os cinco presos foram autuados em flagrante por tráfico de drogas e associação criminosa.

Eles passaram por Audiência de Custódia na Justiça, que converteu as prisões em flagrante de todos eles em prisões preventivas, por tempo indeterminado.

Dos cinco presos, segundo o TJ (Tribunal de Justiça) de São Paulo, apenas Jean e Mateus não tinham antecedentes criminais.

 

PUBLICIDADE

PUBLICIDADE

Pin It on Pinterest

Share This