‘Mata Teu Pai’

As tragédias gregas também têm a capacidade de comemorar boas ocasiões. Prova concreta disso, o espetáculo “Mata Teu Pai”, escrito pela dramaturga e diretora teatral Grace Passô, vem à cena para celebrar os 20 anos de carreira da atriz Debora Lamm.

 

Entre expatriados e imigrantes, o solo, que trata de assuntos como feminismo, preconceito e intolerância a partir do olhar apurado de Medeia, será encenado nesta sexta-feira (28), às 20h, no Teatro do Sesc Campinas. A apresentação integra o projeto artístico Tragédias.

 

O projeto leva aos palcos produções que se inspiraram em mitos e tragédias gregas para discutir questões contemporâneas, o projeto discute a permanência do gênero trágico na contemporaneidade. Somam-se aos espetáculos diversas atividades formativas que reúnem artistas e estudiosos do teatro para reflexões acerca do gênero teatral.

 

Para a diretora de “Mata Teu Pai”, Inez Viana, o espetáculo torna-se um grito contra o retrocesso e a intolerância da atualidade. “Ela tem muito a dizer sobre nossos dias, nossos tempos tristes. Medeia está em movimento, mas só quer descansar um pouco no meio dos escombros da cidade onde agora está. Encontra mulheres: síria, cubana, paulista, judia, haitiana. Se vê na mesma condição de imigrante, por outro viés, evidente, mas sabe que não é dona de sua vida”, disse.

 

A partir desses encontros, algumas tornam-se suas cúmplices, outras seus algozes. Medeia percorre um caminho interior: decide que quem tem que morrer é ele, que a desprezou e tirou o seu direito de ser sua mulher. “Para além de um paralelo sobre o mito, Grace Passô recria a sua feiticeira, não só sobre os dias de hoje, mas também sobre a condição da mulher hoje. Há muitas Medeias com diferentes questionamentos. Mas a todas devemos escutar para que a catarse, por meio da arte, seja expurgada e então um novo homem, mais justo, possa renascer”, avaliou.

 

MEDEIA
“Medeia é uma protagonista feminina que desafia o amor romântico. Na tragédia, ela ressignifica o sentimento quando, na fuga com o ser amado, o que fará dela uma estrangeira, mata o próprio irmão e mais adiante mata seus próprios filhos com Jasão ao se ver traída por ele. A Medeia de ‘Mata Teu Pai’ leva consigo o discurso e as angústias do mundo atual. Dar voz a uma personagem milenar será sempre um desafio”, comenta Debora.

 

A ambientação simples, assinada pela cenógrafa Mina Quental, propõe um campo minado que se desenha no espaço, trazendo toda a sorte de lixo eletrônico, como caixas e mais caixas de carregadores de celular, baterias, teclados de computador e monitores.

Pin It on Pinterest

Share This