Home Especiais Fôlego novo ao WR-V

Fôlego novo ao WR-V

Além do estilo repaginado, linha 2021 do modelo aventureiro da Honda é equipada com controle de estabilidade de série em todas as versões, incluindo a inédita configuração de entrada chamada LX
by Folhapress

Sem novidades na linha Fit há bastante tempo, a Honda decidiu dar mais uma mexida no WR-V, versão aventureira do hatch, mas vendido como um produto à parte do que como um utilitário esportivo compacto.

As mudanças estão leves no visual. O compacto ganhou faróis com LED e luzes diurnas, grade maior e para-choques redesenhados.

Na traseira, o para-choque ficou mais comprido par proteger a tampa traseira de pequenas batidas. As lanternas mantêm o formato, mas têm nova distribuição de luzes e lâmpadas de LED nas versões EX e EXL.

Por dentro a Honda economizou nas modificações. As versões LX e EX ganham tecidos com novo desenho e molduras em preto brilhante. A EXL tem costura preta nos bancos de couro.

O principal ganho do utilitário esportivo está nos equipamentos de segurança. Agora todo WR-V sai de fábrica com controles de tração e estabilidade, itens que serão obrigatórios a partir de 2022.

Fazem parte do pacote o assistente de partida em rampa e o alerta de frenagem emergencial.

Faltou à Honda colocar airbags laterais na versão mais simples, a LX, que custa R$ 83.400. As bolsas são existem na EX, de R$ 90.300 e ganham a companhia dos airbags de cortina na EXL, de R$ 94.700, somando seis bolsas infláveis.

A versão inicial, uma novidade da linha 2021, traz sistema de som com câmera de ré, ar-condicionado, direção elétrica.

A intermediária EX acrescenta ar digital automático, central multimídia com tela de 7″, piloto automático e apoio de braço entre os bancos da frente.

A partir dessa versão é possível fazer mudanças de marcha com aletas atrás do volante, que é revestido de couro. Conta ainda com sensor de estacionamento traseiro e seis alto-falantes.

A topo de linha acrescenta bancos de couro, GPS integrado à central multimídia, retrovisores rebatíveis e sensores de estacionamento no para-choque dianteiro.

O que não muda é o motor 1.5 aspirado de quatro cilindros e que rende 115 cv de potência. Ele é acompanhado sempre da transmissão automática do tipo CVT, sem trocas de marcha.

Com as mudanças e a inédita versão LX, a Honda tenta dar fôlego ao WR-V com a chegada de um forte concorrente na mesma faixa de preços, o Volkswagen Nivus, que tem versões entre R$ 85.890 e R$ 98.290.

O rival, no entanto, é mais bem equipado -tem airbags laterais de série-, e conta com mecânica mais moderna com seu 1.0 turbinado de 128 cv de potência.

As mudanças estão leves no visual. O compacto ganhou faróis com LED e luzes diurnas, grade maior e para-choques redesenhados.

Na traseira, o para-choque ficou mais comprido par proteger a tampa traseira de pequenas batidas. As lanternas mantêm o formato, mas têm nova distribuição de luzes e lâmpadas de LED nas versões EX e EXL.

Por dentro a Honda economizou nas modificações. As versões LX e EX ganham tecidos com novo desenho e molduras em preto brilhante. A EXL tem costura preta nos bancos de couro.

O principal ganho do utilitário esportivo está nos equipamentos de segurança. Agora todo WR-V sai de fábrica com controles de tração e estabilidade, itens que serão obrigatórios a partir de 2022.

Fazem parte do pacote o assistente de partida em rampa e o alerta de frenagem emergencial.

Faltou à Honda colocar airbags laterais na versão mais simples, a LX, que custa R$ 83.400. As bolsas são existem na EX, de R$ 90.300 e ganham a companhia dos airbags de cortina na EXL, de R$ 94.700, somando seis bolsas infláveis.

A versão inicial, uma novidade da linha 2021, traz sistema de som com câmera de ré, ar-condicionado, direção elétrica.

A intermediária EX acrescenta ar digital automático, central multimídia com tela de 7″, piloto automático e apoio de braço entre os bancos da frente.

A partir dessa versão é possível fazer mudanças de marcha com aletas atrás do volante, que é revestido de couro. Conta ainda com sensor de estacionamento traseiro e seis alto-falantes.

A topo de linha acrescenta bancos de couro, GPS integrado à central multimídia, retrovisores rebatíveis e sensores de estacionamento no para-choque dianteiro.

O que não muda é o motor 1.5 aspirado de quatro cilindros e que rende 115 cv de potência. Ele é acompanhado sempre da transmissão automática do tipo CVT, sem trocas de marcha.

Com as mudanças e a inédita versão LX, a Honda tenta dar fôlego ao WR-V com a chegada de um forte concorrente na mesma faixa de preços, o Volkswagen Nivus, que tem versões entre R$ 85.890 e R$ 98.290.

O rival, no entanto, é mais bem equipado -tem airbags laterais de série-, e conta com mecânica mais moderna com seu 1.0 turbinado de 128 cv de potência.

Sugestões

Deixe um comentário

Pin It on Pinterest

Share This