Home Cultura III Festival de Música Histórica terá minicursos

III Festival de Música Histórica terá minicursos

Atividades serão realizadas nos dias 27 e 28 de abril por meio da plataforma Zoom
by Da Redação

A 3ª edição do Festival de Música Histórica de Diamantina, que será realizada entre os dias 23 de abril e 1º de maio, vai oferecer dois minicursos, transmitidos em tempo real pela plataforma Zoom: “Conservação de documentos musicais”, com a professora Mary Ângela Biason, do Museu Carlos Gomes e “O sino da igrejinha faz belém blem blom”: o soar e os sentidos dos sinos e de seus toques na África central ocidental e no Brasil centro-africano”, que será ministrada pelo professor Rafael Galante – mestre e doutorando em História Social pela Universidade de São Paulo.

Ambas as atividades serão realizadas nos dias 27 e 28 de abril por meio da plataforma Zoom. Os links serão encaminhados para os e-mails dos selecionados. Os participantes receberão certificado de participação. As inscrições vão até 11/04 pelo site do festival: www.musicahistoricadiamantina.com.br/minicursos.

O evento será realizado em formato totalmente digital, em função do avanço da pandemia e das necessidades de isolamento social. A programação terá como base a temática “O acervo somos nós” e busca dar visibilidade aos diversos acervos de música existentes em Minas Gerais, desde conjuntos de partituras e de instrumentos presentes em museus e espaços culturais, além daqueles caracterizados por sua dimensão social, comunitária e corporal, os acervos vivos, compreendendo a função de mestres instrumentistas e cantadores da cultura popular, os povos indígenas presentes no estado, bem como as práticas musicais comunitárias que consolidam espaços de preservação da memória sonora, como as linguagens de sinos, as bandas e os terreiros. Por conta deste recorte, a programação é bastante abrangente e inclui diversas atividades, voltadas para públicos variados.

MINICURSOS

No minicurso Conservação de Documentos Musicais, com a profa. Mary Ângela Biason, a partir da história da música brasileira, os participantes terão a oportunidade de discutir o significado de patrimônio e os movimentos de preservação. Serão abordados temas como a produção dos papéis de música, onde se encontram e porque foram preservados, sensibilizando os alunos frente às manifestações musicais que acontecem à sua volta, iniciando pela sua família e se estendendo para sua comunidade e sua região.

“O sino da igrejinha faz belém blem blom”: o soar e os sentidos dos sinos e de seus toques na África central ocidental e no Brasil centro-africano”, com o professor Rafael Galante, será  distribuído em dois encontros tem como objetivo discutir a história, as musicalidades e os significados da tradição sineira afro-brasileira, especialmente a afro-mineira, como parte dos desdobramentos culturais da grande diáspora centro-africana no Brasil.

Sugestões

Deixe um comentário




Enter Captcha Here :

Pin It on Pinterest

Share This