Home Cultura O espetáculo não pode parar

O espetáculo não pode parar

Cirqu&tal faz temporada em Hortolândia nesta sexta-feira, com apresentações gratuitas em espaços públicos
by Da Redação

Qual seria o resultado do encontro de quatro palhaços dispostos a fazerem muita graça de graça? Tratando-se da companhia MB Circo, a resposta tem nome de espetáculo: Cirqu&tal, que fará uma breve temporada em Hortolândia (SP). As apresentações serão realizadas nesta sexta-feira (26/2) em três locais da cidade: Unidade Cultural “Arlindo Zadi”, às 10h; Centro de Educação Musical Municipal, às 14h30; e Escola de Artes “Augusto Boal”, às 19h. A entrada é gratuita.

Realizada por intermédio da Lei Aldir Blanc de Hortolândia, a temporada do espetáculo Cirqu&tal, que integra o projeto municipal Circolândia, seguirá todos os protocolos sanitários e de segurança recomendados pelos órgãos de saúde por conta da pandemia de coronavírus, entre os quais distanciamento entre os espectadores, obrigatoriedade do uso de máscara, aferição de temperatura na entrada dos locais e totem com álcool em gel disponível para a plateia.

Em cartaz desde 2016, o espetáculo, que já integrou a programação de diversos festivais em São Paulo e Minas Gerais, convida à cena um quarteto de palhaços para lá de irreverentes e bem diferentes entre si. Os nomes dizem tudo: Tico Toco (Bruno Peruzzi), Danisguela (Dani Maimoni), Sevefino (Eduardo Salzane) e Nélson do Bigodinho (Junior Taz). Para eles, a nobre arte de arrancar gargalhadas não tem hora certa para ser vivenciada. Pode ser a qualquer momento. Inclusive, é claro, durante a pandemia.

“Arte nunca é demais…! Em alguns momentos da vida, a arte é essencial! E, neste momento de incertezas globais, a nossa arte circense ressurge como um respiro, uma possibilidade de unir as pessoas em torno de um sentimento bonito e potente, que é a alegria”, avalia o ator Junior Taz, intérprete do Palhaço Nélson Bigodinho, que também assina o roteiro e a direção do espetáculo.

Para oferecer tanta alegria ao público, o quarteto de palhaços usa e abusa de outras virtuoses circenses, como malabares com bolas e claves, chicote e monociclo, que fazem ótimas dobradinhas com o humor típico das pilhérias de picadeiro. Aliás, que estão presentes em Cirqu&tal a partir de uma releitura bem-sucedida pela MB Circo de esquetes e números clássicos dos picadeiros circenses.

Quem ganha com toda a experimentação, é a plateia, que se vê dentro de uma legítima lona circense. “O circo está no imaginário popular como uma manifestação da alegria e do deslumbramento, um terreno fértil feito de surpresas e risadas no qual se semeiam sonhos e se colhe esperança. Que o público assista o espetáculo e leve consigo um jeito alegre e esperançoso de ver o mundo”, destaca o diretor.

A COMPANHIA

Fundada em 2014, a MB Circo nasceu com a proposta de ser um espaço para o encontro de amigos que desejavam pesquisar comicidade, estudar humor circense e, claro, conjugar o verbo palhacear na cena. Após um ano de atividades, a trupe estreou o primeiro espetáculo: Bandalhaços Show, que contou com a supervisão artística de Lu Lopes, a reconhecida Palhaça Rubra. Enquanto rodavam por festivais, circuitos, editais e encontros em São Paulo e Minas Gerais, os artistas da MB Circo prepararam Cabaré Cirqu&tal, a segunda montagem, que estreou em 2016.

Sugestões

Deixe um comentário




Enter Captcha Here :

Pin It on Pinterest

Share This