PUBLICIDADE

PUBLICIDADE

Serralheiro de Santa Bárbara é condenado a 21 anos por matar namorada

O crime aconteceu em novembro de 2017, quando Adriana Oliveira Silva foi enforcada duas vezes pelo acusado, Renan Teixeira Passarin, durante uma discussão por dinheiro

Depois de mais sete horas de julgamento, que foi realizado no Fórum de Santa Bárbara d’Oeste, o serralheiro Renan Teixeira Passarin, acusado de matar por estrangulamento a sua então namorada, Adriana Oliveira Silva, foi condenado a 21 anos de prisão.

PUBLICIDADE

O crime aconteceu em novembro de 2017, quando Adriana foi enforcada duas vezes pelo acusado durante uma discussão por dinheiro e gastos no cartão de crédito. O caso foi registrado como feminicídio á época.

Passarin, que está preso desde o crime, foi julgado por homicídio com quatro qualificadoras (motivo fútil, meio cruel, impossibilidade de defesa e contra a mulher por razões da condição do sexo feminino, esta última prevista na Lei Maria da Penha).

PUBLICIDADE

Casos de júri popular acontecem, segundo as leis do país, com a presença do réu, que veio do presídio de Tremembé para ser julgado.

Porém, ele chegou atrasado ao julgamento, porque o veículo do sistema prisional em que ele era transportado envolveu-se em um pequeno acidente no trajeto e teve que ser substituído.

PUBLICIDADE

A juíza Camila Marcela Ferrari Arcaro, que presidiu o júri, dosou a pena de 21 anos, levando em consideração as quatro qualificadoras do homicídio propostas pelo MP (Ministério Público).

Familiares da vítima, que acompanharam o julgamento, acharam a punição justa. A defesa do acusado considerou a sentença exagerada e está recorrendo.

Para Daniel José Heleno, advogado de Passarin, a confissão do crime feita por seu cliente deveria ter sido levada em consideração na dosagem da pena e por isso ele tentará reduzir o tempo de condenação. O recurso será analisado com o réu preso.

ENTENDA O CASO

Segundo o MP, a vendedora Adriana Oliveira, que tinha 40 anos, foi esganada duas vezes pelo acusado, que depois confessaria estar sob efeito de álcool e de cocaína.

O crime foi em 24 de novembro de 2017, na casa onde moravam, em Santa Bárbara d´Oeste.

O serralheiro discutiu violentamente com a namorada, segundo ele, porque ela teria ultrapassado o valor limite do cartão de crédito.

Houve briga e ele apertou o pescoço da mulher por duas vezes, segundo a denúncia.

Na manhã seguinte, o próprio serralheiro chegou a comunicar que a namorada estava ferida, ela foi socorrida ao Hospital São Francisco, mas não resistiu.

Na época, segundo informações da Polícia, o acusado foi denunciado por familiares da vendedora que forneceram informações sobre o carro em que ele fugiu. O serralheiro foi localizado, confessou o crime e foi preso em flagrante.

Consta na denúncia do MP, oferecida em dezembro de 2017: “Renan se aproximou de sua companheira e, de súbito, segurou o pescoço da vítima com força, enforcando-a. A vítima, ainda com vida, caiu ao solo. Foi então que, visualizando a vítima fragilizada tentando se levantar e, valendo-se de sua superioridade física, o denunciado voltou a enforcá-la, dessa vez provocando seu óbito”.

PUBLICIDADE

PUBLICIDADE

Pin It on Pinterest

Share This