Home Cidades Prisões crescem 47% em um mês

Prisões crescem 47% em um mês

Aumento ocorreu em outubro, que registrou média de três detenções por dia, segundo estatísticas da SSP
by Pedro Heiderich

O número de prisões efetuadas em Americana aumentou 47% em um mês, segundo dados das estatísticas de outubro da SSP (Secretaria de Segurança Pública do Estado de São Paulo). Em setembro foram 69 prisões. Já em outubro o número chegou a 102,  média de três por dia. O máximo registrado em 2020 havia sido 82 prisões efetuadas, em janeiro.

O último mês que superou o número foi setembro de 2019, com 109 prisões. Um mês depois, foram 77. Em todo 2019, aconteceram 882 prisões na cidade (média de duas por dia). Até outubro deste ano já são 716.

Nas outras cidades, a mudança é tímida em um mês. Em Hortolândia, foram 30 prisões em outubro e 40 em setembro. Em outubro de 2019, foram 87, em um ano que teve 988 prisões. Neste ano já são 617.

Nova Odessa teve 9 prisões efetuadas em setembro e 12 em outubro, totalizando 101 em 2020. No ano passado, foram 9 em outubro, e um total de 167.

Santa Bárbara d’Oeste também viu em um mês apenas três prisões a mais, chegando a 15 em outubro, num total de 276 de janeiro a outubro. Em 2019 eram 58 em outubro, e no total, 875.

Sumaré registrou 41 prisões em setembro e 31 em outubro. No ano passado, foram 72 em outubro, e 810 em todo o ano. Até outubro, em 2020, Sumaré tem 422 prisões efetuadas, segundo a SSP.

MAIS TEMPO

O especialista em segurança pública José Vicente da Silva Filho avalia que o aumento de prisões efetuadas se deu muito por conta da pandemia. “Não só em Americana, mas é a maior cidade deste conjunto, todas estruturas da polícia ficaram mais livres com a queda de demanda do patrulhamento, do 190, que tem muito de ocorrências de caráter social, briga de vizinhos, por exemplo”, disse.

José Vicente diz que a redução da atividade das pessoas nas ruas permitiu à polícia patrulhar mais. “A polícia pode centralizar onde tem maior incidência de crimes. E não teria tanto tempo quanto tem. Mesmo com o relaxamento, houve restrição, e a polícia teve mais liberdade e condições de agir, prendendo mais.”

O especialista diz que isso ocorre em todo o Estado, mas principalmente na região. “Com a queda de demandas, eles (policiais) foram patrulhar nas ruas, resultando em mais prisões. No Estado, tivemos um recorde de apreensão de drogas. A polícia teve mais tempo de ir atrás das bocas de fumo. Mais de 200 toneladas apreendidas.”

Americana contribuiu. A DIG (Delegacia de Investigações Gerais) local apreendeu só na terça-feira (24) 126 kg de maconha em uma carreta, na Rodovia Luiz de Queiroz (SP-304). O motorista do veículo foi preso.

Sugestões

Deixe um comentário




Enter Captcha Here :

Pin It on Pinterest

Share This