Home Cidades Região caminha para fase vermelha

Região caminha para fase vermelha

Cenário no DRS Campinas se assemelha ao de outras regiões que regrediram ao nível mais restritivo do Plano SP
by Leon Botão

As cidades do DRS (Departamento Regional de Saúde) 7, de Campinas, devem regredir ainda essa semana para a fase vermelha, a mais restritiva do Plano São Paulo até o momento. Pelo menos é o que apontam os índices de evolução da pandemia na região, que bateu ontem a marca de 78,3% de taxa de ocupação de leitos de UTI (Unidade de Terapia Intensiva). Em cenário de “quase colapso”, a cidade de Campinas já adotou a medida restritiva a partir de hoje (leia texto ao lado). E em Americana, dois hospitais estão com 100% dos leitos de UTI ocupados.

De acordo com os dados da Fundação Seade (Sistema Estadual de Análise de Dados), desde a última sexta, quando a região regrediu da fase amarela para a laranja, o cenário só piorou, com elevação de cinco pontos percentuais na taxa de ocupação de UTI, saindo dos 73% para os 78% em menos de uma semana. A pior marca registrada na região durante a pandemia foi de 3 a 10 de julho de 2020, quando a ocupação de leitos de UTI ficou em 80%.

O índice atual de ocupação de UTI já se enquadra na fase vermelha e, ainda que os outros números que costumam ser levados em consideração estejam em nível laranja ou amarelo, a tendência é de adoção da fase vermelha, já que na última reclassificação, regiões como Ribeirão Preto, Marília e Barretos, que tinham situação semelhante à região de Campinas, foram colocadas na fase mais restritiva.

Na fase vermelha, não podem funcionar com atendimento presencial o comércio de rua, shoppings, bares, lanchonetes, restaurantes, salões de beleza, academias, escolas e faculdades. Podem abrir e receber clientes apenas os supermercados, farmácias, postos de combustíveis, considerados serviços essenciais.

Medidas mais duras por parte do governo do estado para conter o avanço da pandemia são esperadas pelos prefeitos da RMC (Região Metropolitana de Campinas) hoje. Na segunda, o estado chegou a falar na possibilidade de instituir uma fase mais restritiva que a vermelha.

Ontem, o governador João Doria (PSDB) se reuniu virtualmente com prefeitos, o secretário de Desenvolvimento Regional, Marco Vinholi, o secretário da Saúde, Jean Gorinchteyn, o coordenador do Centro de Contingência da Covid-19, Paulo Menezes, e o coordenador executivo do Comitê de Saúde, João Gabbardo (leia texto acima).

REGIÃO

As cidades do entorno de Americana apresentam situação ligeiramente melhor que Campinas, tanto que apenas uma – Hortolândia – adotou medidas próprias de restrição de circulação, já na última sexta, com uma espécie de “lockdown” a partir das 21h.

Americana, no entanto, tem 70% dos leitos de UTI ocupados, sendo que dois hospitais particulares – São Lucas e Unimed – estão com ocupação de 100%. No Hospital Municipal Dr. Waldemar Tebaldi, a ocupação de leitos de UTI é 59% e, no São Francisco, a taxa é de 33%. Em Santa Bárbara d’Oeste, a ocupação de leitos do SUS é de 66%.

 

Sugestões

Deixe um comentário




Enter Captcha Here :

Pin It on Pinterest

Share This