Estudante é morta pelo namorado

Reprodução | Facebook
0 50
O corpo da estudante de medicina Marília Camargo de Carvalho, 25, foi sepultado ontem à tarde no cemitério municipal de Santa Cruz do Rio Pardo (SP). A mulher foi assassinada no domingo pelo namorado Rafael Garcia, 27, em Campinas, que logo em seguida se matou ao pular do 16º andar de um prédio.
O caso foi registrado como homicídio qualificado como feminicídio, e também suicídio, segundo a SSP (Secretaria de Segurança Pública). O casal estava junto há pelo menos quatro anos e a mulher tinha acabado de se formar em medicina. A motivação do crime ainda é desconhecida.
O corpo de Marília foi sepultado ontem, às 13h, no cemitério de Santa Cruz do Rio Pardo. De acordo com um funcionário do local ouvido pela reportagem, ela foi enterrada no mesmo túmulo de seus avós. Santa Cruz é a cidade natal do pai da vítima. Familiares preferiram não conversar com a reportagem.
Segundo a SSP, a causa da morte de Marília ainda não foi determinada. Os corpos foram liberados ainda no domingo à tarde. Não foi informado para onde o corpo de Rafael Garcia seria transferido para posterior sepultamento.
ENTENDA O CASO
O crime ocorreu em um condomínio na Avenida Império do Sol Nascente, em Campinas. De acordo com a SSP, Marília foi morta pelo namorado por volta das 7h10. Na sequência, ele cometeu suicídio se jogando do 16º andar do prédio onde ela morava.
A vítima era do Paraná e o autor de Minas Gerais, mas ambos maravam em Campinas.
“A PM (Polícia Militar) foi acionada para atender a ocorrência e, ao chegar no local, encontrou o corpo de Rafael Garcia, no chão, sem vida, no térreo do condomínio”, informou.
Ainda de acordo com o registrado na Polícia Civil, os militares foram até o apartamento, tentaram contato, mas não foram atendidos. “A porta foi arrombada e eles localizaram o corpo de Marília em cima de um colchão próximo à cama. O corpo dela apresentava sinais de asfixia.”
Dois notebooks, dois celulares e um tablet foram apreendidos e encaminhados para a perícia. Foi requisitada perícia para o local do crime, o IML (Instituto Médico Legal) e exame necroscópico e toxicológico para a vítima e autor.
O caso foi registrado no 1º DP (Distrito Policial) e será encaminhado para investigação no 3º DP, que é o responsável pela área do crime.

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.