PUBLICIDADE

PUBLICIDADE

Ande nos trilhos

Viagem de trem ilumina o passado e as tradições no trajeto de Tiradentes à São João del Rei

Caminhar pelas ruas de pedra da histórica Tiradentes, admirando a arquitetura das casas coloniais e a riqueza barroca de suas igrejas e museus, é vislumbrar um pouco do que foi a vida nos séculos 18 e 19.

PUBLICIDADE

Uma ótima maneira de prolongar essa experiência é fazer o passeio de trem que liga Tiradentes e São João del Rei. O trajeto de 12 quilômetros entre as duas cidades percorre um trecho da antiga Estrada de Ferro Oeste de Minas, a primeira ferrovia de pequeno porte no país, inaugurada em agosto de 1881 com a presença do imperador dom Pedro 2º.

Chamadas popularmente de marias-fumaça, por causa das nuvens de vapor que saem das chaminés, essas máquinas tiveram um outro apelido, não tão conhecido: balduínas, derivado do nome da empresa norte-americana que fabricava os trens daquela época, a Baldwin Locomotive Works-Philadelphia.

PUBLICIDADE

Sugerimos começar a viagem ao passado na estação de trem de Tiradentes, uma construção bem conservada que, como todo o complexo ferroviário da região, é protegida pelo Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (Iphan).

Vigorosos apitos de trem anunciam a chegada da maria-fumaça à estação, causando rebuliço e expectativa, especialmente entre as crianças. Depois do desembarque dos passageiros que vêm de São João del Rei, a locomotiva é desengatada, invertida manualmente no girador, e engatada novamente na direção oposta.

PUBLICIDADE

Os vagões, cujos interiores foram totalmente restaurados, têm modelos de assento diferentes uns dos outros. Alguns são de madeira e lembram os antigos bancos escolares. Outros, mais confortáveis, são estofados. Quase todos têm encostos móveis.

Depois da chegada à estação, um funcionário percorre toda a composição virando o encosto das poltronas, para a viagem de volta.

Uma vez em movimento, das janelas do lado direito do trem, partindo de Tiradentes, se avistam belas paisagens: fazendas com vacas e cavalos pastando soltos, pequenos açudes com patos e o imponente paredão da Serra de São José, que inclui uma área de proteção ambiental.

Do lado esquerdo da linha férrea, o visual não é tão poético. Por ele se estende a Várzea de Baixo, bairro pouco favorecido da cidade, com casas simples, feitas de blocos aparentes, típicas dos subúrbios.

Peças como essas estão no Museu Ferroviário, que pode ser visitado gratuitamente na estação de São João del-Rei. Lá, além de painéis explicativos e objetos da época da construção da ferrovia, está a primeira locomotiva da linha, fabricada em 1880 na Filadélfia (EUA), funcionando de quarta a domingo.

  • Facebook
  • Twitter
  • LinkedIn
  • Pinterest
Museu Ferroviário

Ao desembarcar na plataforma de São João del Rei, o viajante encontra ainda uma feirinha de artesanato com peças típicas da região, feitas de crochê, madeira e metal.

Apesar não ter tantos atrativos turísticos quanto Tiradentes, vale a pena conhecer o centro histórico e as principais igrejas de São João del Rei: a Catedral Basílica de Nossa Senhora do Pilar, a Igreja de Nossa Senhora do Rosário e, especialmente, a Igreja de São Francisco de Assis, projetada por Aleijadinho.

É possível fazer o passeio por conta própria, a pé, e voltar num trem posterior. Outra opção é contratar previamente um tour com guia turístico numa das agências de turismo de Tiradentes. Nesse caso, uma van levará os turistas para os pontos importantes e retornará a Tiradentes pela Estrada Real.

PUBLICIDADE

Pin It on Pinterest

Share This