Domingo, 26 Junho 2022

A nova casa dos menores acolhidos

A nova casa dos menores acolhidos

Prestes a atingir a maioridade, a Coasseje (Casa de Orientação e Assistência Social Seareiros de Jesus) comemora “a realização de um sonho” após 17 an

Prestes a atingir a maioridade, a Coasseje (Casa de Orientação e Assistência Social Seareiros de Jesus) comemora “a realização de um sonho” após 17 anos em atividade: um prédio no Jardim Colina, em Americana, para reunir as crianças acolhidas na cidade.

A entidade acolhia até 20 crianças e adolescentes em duas casas, nos bairros Santa Catarina e Jardim Girassol, desde agosto de 2015. Com o novo espaço, a Coasseje poderá acolher até 25 menores. O prédio onde a nova sede funcionará foi cedido pelo Executivo à entidade. O prefeito Omar Najar (MDB) e o secretário de Ação Social e Desenvolvimento Humano, Aílton Gonçalves Dias Filho, participaram da inauguração do local, batizado de “Lar Dona Anita”, no começo da semana.

A mudança das crianças e adolescentes dos Lares Coassege para o novo endereço está agendada para o dia 28. A presidente da entidade, Tereza Luiza Arduino Pompermayer, se emocionou durante a inauguração. “Estamos todos muito contentes e posso dizer que é um sonho realizado. Nossa equipe inteira e as crianças vão se mudar para essa casa, que tem um ambiente maior, mais bonito, arejado e agradável”, disse.

Ela prevê uma dinâmica de trabalho mais otimizada com a reunião das crianças e da equipe, composta por seis psicólogas, assistente social, e pedagoga, em um só lugar. “No acolhimento estão todas as crianças e a equipe técnica juntas, o que vai permitir que a gente faça um trabalho melhor”, explica.

Atualmente, as duas casas acolhem menores de de 0 a 18 anos que, por algum motivo, foram retirados de seus lares, seja temporariamente ou em definitivo, para a preservação de seus direitos. Além do acolhimento institucional, a Coassege atua também com as famílias, no sentido de reintegrar as crianças.

Imóvel foi decorado por voluntários

A nova casa para o acolhimento de menores foi adequada com investimentos da própria sociedade civil. A decoração, por exemplo, belíssima, foi assumida pela Top Decor, que executa periodicamente mostras de arquitetura e decuração na cidade. O projeto “Decor Solidária” envolve os profissionais que atuam nas mostas em ações sociais.

É como explicou a advogada do grupo e curadora da mostra, Fernanda Sarra. “O espaço foi projetado especialmente para atender crianças e adolescentes, e conta com sala de estudos, brinquedoteca, sala de tv, sala de game, refeitório, salas de atendimentos, sala de reunião para equipe técnica, dormitórios masculinos, femininos, familiar, sala de descanso voltada para os funcionários, diversos vestiários e banheiros”, explicou.

Tudo para deixar o imóvel adequado ao trabalho que é desenvolvido diariamente com os menores. O mais de 25 ambientes foram projetados e executados por profissionais das áreas de arquitetura, engenharia e design de interiores, em parceria com empresas. Associadas ou não à Top Decor. Também ouve a colaboração de novos e antigos colabores da entidade, voluntários, dos mais diversos ramos de atuação.

Parceria garante retomada do serviço de albergue a maiores

A inaugutação da nova casa de acolhimento da Coasseje é parte de um estratégia de governo que procura resgatar os investimentos públicas no amparo social. E as ações não devem se limitar à assistência de menores que, principalmente por determinação judicial, tiveram de deixar seus lares. Em tempos de recursos escassos e caixa comprometido, a prefeitura busca firmar parceiras com instituições com reconhecida experiência para abordar e amparar pedintes e mendicantes, Com investimentos retraídos da Administração e a interrupção dos serviços de albergue, a cena chocante de pessoas dormuindo nas praças e calçadas tomou conta da cidade. O serviço será retomado.

Ao aceitar, você acessará um serviço fornecido por terceiros externos a https://tododia.com.br/