Sábado, 25 Junho 2022

Americana suspende volta de aula presencial

Americana suspende volta de aula presencial

A Prefeitura de Americana informou na noite de ontem que está adiada a volta das aulas presenciais da rede municipal de ensino, até então marcadas par
A Prefeitura de Americana informou na noite de ontem que está adiada a volta das aulas presenciais da rede municipal de ensino, até então marcadas para segunda-feira (1º). As aulas seguirão remotas nas próximas duas semanas. A decisão foi tomada pelo Comitê de Combate à Covid-19, formado por diversas pastas e unidades da prefeitura. O motivo do adiamento é o aumento de casos de coronavírus.
"O retorno presencial fica, no momento, suspenso em função do aumento de ocorrências da doença e a possível alta nos próximos dias. A situação será reavaliada dentro de 15 dias, podendo as aulas presenciais serem retomadas ou seguirem suspensas de acordo com a situação em que o município se encontrar", informou o Executivo, em nota.
Americana registrou recentemente um caso suspeito da nova variante do coronavírus. O resultado do exame ainda não saiu, e a mulher infectada, de 39 anos, passa bem e não precisou ser internada.
Ontem, a Apeoesp (Sindicato dos Professores do Ensino Oficial do Estado de São Paulo) de Americana divulgou o primeiro caso de aluna de escola estadual da cidade com coronavírus. O sindicato denunciou novos casos em mais cinco escolas.
Uma professora está sob suspeita na João Solidário Pedroso, no São Manoel. Há um professor sob suspeita na PAZ, no Zanaga, e um na Maria do Carmo Augusti. Em Nova Odessa, na Silvânia Aparecida, são quatro professores que testaram positivo e um sob suspeita; na Geraldo de Oliveira, dois casos confirmados em professores.
Segundo Zenaide Honório, diretora da Apeosp em Americana e região, o primeiro caso em aluna preocupa ainda mais. "Não se tem transparência, o secretário resolveu brigar com a ciência. É uma tremenda irresponsabilidade e traz inseguranças aos trabalhadores em educação que lá estão e aos estudantes".
A Secretaria da Educação do Estado de São Paulo diz seguir todos os protocolos definidos e confirmou os casos da aluna do Maria do Carmo Augusti, e dos dois professores do Geraldo de Oliveira. Na Silvânia, segundo o estado, é só um caso confirmado.
A Prefeitura de Americana informou ao TODODIA que duas escolas particulares, que voltaram aulas presenciais em fevereiro, tiveram casos suspeitos.
"A Vigilância recebeu a notificação de apenas dois casos suspeitos em escolas particulares distintas, em períodos distintos. São casos isolados como em qualquer outro setor de atuação, sendo que as medidas são as orientações de praxe, de manter atenção aos comunicantes, a escola monitora os contatos desses casos suspeitos, afasta por 14 dias os colegas de sala que tiveram contato com o caso suspeito e mantém o monitoramento dos sintomas".
O Executivo foi questionado, mas não informou os nomes das escolas.
Na região, Santa Bárbara d'Oeste voltou as aulas presenciais da rede municipal ontem, de forma escalonada e gradual.
Sumaré deve ter a retomada na segunda-feira (1º). Na semana passada, Hortolândia adiou a volta das aulas presenciais para 5 de abril. Nesta semana, Paulínia fez o mesmo, também adiou para a mesma data.
Em Nova Odessa, as aulas têm previsão de retorno presencial para dia 8 de março. As prefeituras de Americana, Hortolândia e Nova Odessa avaliam testar os professores antes da retomada. Hortolândia pede ainda a vacinação da categoria até 5 de abril.

Ao aceitar, você acessará um serviço fornecido por terceiros externos a https://tododia.com.br/