Sábado, 27 Novembro 2021

Americana tem alta em registros de estupros

Americananúmeros da ssp

Americana tem alta em registros de estupros

Durante todo o ano de 2020 foram 39 ocorrências, 25 de vulneráveis 

Neste ano foram registradas 26 ocorrências no município, 16 delas estupro de vulnerável, de forma que pessoas mais jovens prevalecem como vítimas (Foto: Getty Images)
Dos indicadores registrados pela Secretaria de Segurança Pública de São Paulo no mês de setembro em Americana, a incidência de estupros está entre os crimes que tiveram alta. Foram seis registros no mês, a quantidade mais numerosa neste ano, com metade das ocorrências relacionada a vulneráveis (quando envolve jovens menores de 14 anos).

Neste ano foram registradas 26 ocorrências no município, 16 delas estupro de vulnerável, de forma que pessoas mais jovens prevalecem como vítimas. Durante todo o ano de 2020 foram 39 ocorrências, 25 de vulneráveis.

Embora o município não tenha registrado, no mês, nenhum homicídio, foram 35 lesões dolosas (quando há intenção) e 33 culposas por acidente de trânsito, em números inferiores aos registros de agosto (42 e 45, respectivamente).

Roubos em geral tiveram alta (31 ante 19 no mês anterior), além de três de veículos e dois de carga. Também foram registrados 147 furtos em geral e 55 de veículos (queda em relação aos 63 de agosto).

Os flagrantes continuam em alta e bateram recorde em setembro. Foram 102 lavrados com 127 pessoas presas em flagrante, além de seis infratores nesta situação. Em agosto, o município já havia superado o total de 2020 nesse tipo de ocorrência.

Americana manteve a média de agosto nas ocorrências relacionadas às drogas, com 14 de porte de entorpecentes, 33 de tráfico e 13 de apreensão. Seis armas foram apreendidas. Com dois casos de porte ilegal.

NA REGIÃO
Hortolândia teve 53 casos de lesão dolosa, e 17 culposas no trânsito. Foram 38 roubos em geral e 28 de veículos, com 114 furtos em geral e 34 de veículos. A cidade encerrou o mês com 102 novos inquéritos.

As ocorrências mais numerosas em Nova Odessa foram 11 de lesão em acidente de trânsito e 37 de furtos em geral, com a cidade totalizando 36 inquéritos no mês.

Santa Bárbara D'Oeste registrou um homicídio e uma tentativa, além de um estupro de vulnerável. Os furtos em geral chegaram a 100 ocorrências no mês, com 31 furtos de veículos. O município teve 67 inquéritos instaurados.

Sumaré teve 206 furtos em geral e 28 de veículos. O município registrou cinco estupros, sendo quatro de vulnerável, totalizando 35 casos neste ano. Na cidade ainda foi registrado o recorde de homicídios, seis, quantidade mensal mais elevada neste ano. 

Órgão orienta contra violência às mulheres
Os casos de estupro podem ser cometidos não só por desconhecidos, mas também dentro do casamento.

É o que alerta o inspetor Fernando Faria, da Inspetoria de Defesa da Mulher e Ações Sociais (IDMAS), em funcionamento junto à Guarda Municipal desde junho em Americana.

Trata-se do estupro marital, um tipo de violência para o qual as vítimas recebem amparo e orientações no local.

Ele salienta que a vítima deve procurar uma delegacia de polícia para registro da ocorrência, na qual deve fornecer o maior número de detalhes possível.

"Por mais difícil que seja, detalhes são fundamentais para elucidar o crime e prender o criminoso ou criminosos. Altura, cor da pele, vestimenta, cabelo, tatuagens e sinais físicos são fundamentais".

Câmeras próximas do local de abordagem também contribuem na investigação.

O atendimento de saúde é primordial não só para a ingestão das medicações necessárias para evitar doenças sexualmente transmissíveis e gravidez indesejada como para receber apoio emocional.

Outras orientações são evitar mexer no celular ou utilizar fones de ouvido quando estiver andando na rua, pois isso diminui a percepção do que acontece ao redor.

Se estiver numa casa noturna e perder o copo, não ingerir bebida entregue por estranhos.

Ao caminhar, se perceber que está sendo seguida, deve imediatamente entrar em algum estabelecimento e pedir ajuda.
Se estiver em local ermo, ligar para o 153 (Guarda) ou 190 (Polícia Militar).

"Todo atendimento realizado no IDMAS tem como premissa o acolhimento de maneira humanizada e que impeça que a mulher volte a ser vítima. São mulheres que estão em sofrimento, machucadas física e emocionalmente. Por isso, constantemente a equipe deste setor recebe orientações de como aprimorar e realizar este acolhimento da forma mais humana possível", reforça o inspetor.

Além do telefone 153, o serviço recebe denúncias pelo WhatsApp (19) 3461-8631.


 

Comentários:

Nenhum comentário feito ainda. Seja o primeiro a enviar um comentário
Já Registrado? Acesse sua conta
Visitante
Sábado, 27 Novembro 2021

Ao aceitar, você acessará um serviço fornecido por terceiros externos a https://tododia.com.br/