Sexta, 17 Setembro 2021

RMC vai reativar barreiras no feriado

AmericanaBarreiras

RMC vai reativar barreiras no feriado

Fiscalizações nos acessos das cidades serão retomadas na tentativa de reduzir circulação de pessoas na região
 

As barreiras - ou blitze nos principais acessos às cidades, abordando veículos com placas de fora e aferindo a temperatura de seus ocupantes ( Divulgação/ Guarda Municipal Americana)

As cidades que integram a RMC (Região Metropolitana de Campinas) prometem retomar as barreiras sanitárias nas entradas dos municípios, além de reforçar a fiscalização contra festas clandestinas na tentativa de reduzir a circulação de pessoas ao longo do feriado "prolongado" de Corpus Christi, a partir de amanhã.

As barreiras - ou blitze nos principais acessos às cidades, abordando veículos com placas de fora e aferindo a temperatura de seus ocupantes - terão início já na tarde desta quarta-feira (2), véspera do feriado, e devem prosseguir até domingo (6).

Acossados pelo aumento no número de casos, internações e mortes por Covid-19, prefeitos que integram o Conselho de Desenvolvimento da RMC tomaram a decisão em reunião, de maneira extraordinária e virtual, na manhã desta terça-feira.

Para definir detalhes das barreiras sanitárias e do trabalho de fiscalização contra festas clandestinas, a Agemcamp (Agência Metropolitana de Campinas), por meio da Câmara Temática de Segurança, realizará na manhã desta quarta-feira uma reunião virtual com secretários e diretores ligados à área da segurança de cada um dos 20 municípios. Representantes da Polícia Militar e da Polícia Civil também já confirmaram participação.

A ideia é que o trabalho seja semelhante ao realizado entre os dias 26 de março e 4 de abril em toda a RMC - período que coincidiu com o "megaferiado" anunciado, na ocasião, pela Prefeitura de São Paulo - quando as vigilâncias sanitárias e guardas municipais de cada cidade, com apoio da Polícia Militar, promoveram as barreiras em determinados horários do dia e da noite com objetivo de abordar veículos com placas de fora da região, além de aferir a temperatura das pessoas. O trabalho foi chamado de "cinturão regional".

As Administrações também prometem intensificar o trabalho de conscientização junto à população e, caso os números não retrocedam, os prefeitos poderão se reunir novamente já no início da próxima semana para discutir a adoção de medidas mais restritivas.

"Existe uma preocupação grande por conta do recente aumento no número de casos, internações e mortes nas cidades da Região Metropolitana de Campinas. E está bem claro para os prefeitos que o problema não são os restaurantes, o comércio de uma forma geral. O grande problema são as festas clandestinas, em sua maioria, realizadas em chácaras, e até mesmo as reuniões familiares com grande número de pessoas", explicou o diretor-executivo da Agemcamp, Bill Souza.

O prefeito de Jaguariúna, e presidente do Conselho de Desenvolvimento da RMC, Gustavo Reis (MDB), alertou para a possibilidade de adoção de medidas mais restritivas já na próxima semana, caso os números regionais não retrocedam.

"Algumas cidades, como Hortolândia e Valinhos, por exemplo, estão registrando um aumento muito grande nos casos e nas internações. Em Hortolândia, o número diário de consultas na unidade respiratória passou de 50 para 170, com todos os leitos Covid ocupados. O cenário em vários outros municípios é o mesmo. Então, caso não haja uma melhora rápida, teremos que discutir medidas mais duras, assim como fizeram outras regiões do Estado", disse o presidente do colegiado.

"A colaboração de todos é vital para que o comércio e serviços não sejam obrigados a fechar suas portas por conta da implantação de uma fase mais restritiva", comentou o prefeito de Hortolândia, Zezé Gomes (PL). 

 

Comentários:

Nenhum comentário feito ainda. Seja o primeiro a enviar um comentário
Já Registrado? Acesse sua conta
Visitante
Sexta, 17 Setembro 2021

Ao aceitar, você acessará um serviço fornecido por terceiros externos a https://tododia.com.br/