Domingo, 23 Janeiro 2022

Após ameaça de greve, prefeitura vai pagar médicos

Após ameaça de greve, prefeitura vai pagar médicos

A Prefeitura de Hortolândia anunciou nesta quinta-feira (6) que irá fazer o pagamento dos salários atrasados dos 200 médicos e de outros 400 funcionár
A Prefeitura de Hortolândia anunciou nesta quinta-feira (6) que irá fazer o pagamento dos salários atrasados dos 200 médicos e de outros 400 funcionários da AMG (Associação Metropolitana de Gestão), empresa terceirizada que presta serviço de atendimento na área da saúde no município e que está com as contas bloqueadas pela Justiça diante de uma investigação de fraudes em contratos feitos pela PF (Polícia Federal).
Conforme revelou o TODODIA ontem, os médicos e demais funcionários deveriam ter recebido no último dia 25 de abril os salários referentes ao trabalho realizado em março. Com o atraso, os profissionais chegaram a comunicar a prefeitura sobre a possibilidade de entrar em greve - o que seria decidido na próxima segunda-feira (10) em assembleia.
Na noite desta quinta, porém, a AMG e a prefeitura confirmaram que o pagamento começará a ser feito nesta sexta (7).
Para isso, ao invés de fazer o repasse mensal de maio à empresa, a prefeitura irá utilizar o dinheiro para quitar os salários atrasados.
A quitação, no entanto, deve começar nesta sexta e terminar na segunda por conta da burocracia.
Ocorre que, dos 600 funcionários contratados em regime celetista, cerca de 400 têm contas convencionais e poderão receber os valores, mas 200 têm conta-salário, que só pode receber valores do CNPJ da empresa que são contratados.
"Devido à nova situação e à necessidade de coleta de dados e cadastramento de todos os
profissionais, o processo deverá levar um pouco mais de tempo que o habitual, mas tanto os profissionais médicos como os profissionais celetistas começarão a receber seus pagamentos a partir de amanhã dia 7 de Maio de 2021. Nossa expectativa é que até segunda-feira dia 10 de Maio todos já tenham recebido", trouxe a nota da AMG.
A empresa se justificou no texto afirmando que os pagamentos não foram feitos por conta do bloqueio judicial e que conta com a colaboração dos profissionais para evitar a desassistência da população, já que a empresa é responsável pela gestão de toda a Rede de Urgência e Emergência de Hortolândia, o que compreende o Hospital Municipal e Maternidade Governador Mario Covas e seus Prontos Atendimentos Infantil e Adulto, as Unidades de Pronto Atendimento (UPAS), e o SAMU.
"Acreditamos que iremos reverter juridicamente graças aos esforços de todos para que o serviço continue a ser prestado com a devida excelência. (...) Contamos com a colaboração no sentido de aguardar essas medidas administrativas, jurídicas e organizacionais para o breve restabelecimento dos prazos e processos normais", escreveu a empresa.
A diretoria do Sindicato dos Médicos de Campinas e Região confirmou ontem que profissionais receberam mensagens nesta quinta, informando sobre a liberação dos pagamentos a partir de hoje.
"Alguns médicos foram comunicados por mensagem no WhatsApp. O Sindicato torce para que se efetive, ninguém deveria ser obrigado a ameaçar para de trabalhar para receber seus honorários com 32 dias de atraso", disse o diretor do sindicato, Dr. Moacyr Perche.
 

Comentários:

Nenhum comentário feito ainda. Seja o primeiro a enviar um comentário
Já Registrado? Acesse sua conta
Visitante
Domingo, 23 Janeiro 2022

Ao aceitar, você acessará um serviço fornecido por terceiros externos a https://tododia.com.br/