Sexta, 19 Agosto 2022

Em ataque a ônibus, mulher defendeu deficiente física em Piracicaba e acabou assassinada

CidadesMortes

Em ataque a ônibus, mulher defendeu deficiente física em Piracicaba e acabou assassinada

Amigos das vítimas e testemunhas relatam detalhes do massacre

Vítimas Waldemar, Adriana e Roseli (Foto: Divulgação)

Em meio ao ataque a um ônibus do transporte público ontem, no Centro de Piracicaba, que resultou em seis esfaqueados, com três mortes e três feridos, uma das vítimas, Roseli Ramalho da Silva, de 55 anos, chegou a entrar em luta corporal com o acusado do crime e defender uma pessoa com deficiência física. Roseli está entre as pessoas assassinadas. O acusado, de 52 anos, foi preso.

O diretor da Delegacia do Interior (Deinter) 9, Kleber Altale, confirmou as mortes e feridos.

"Tivemos três vitimas feridas, duas mais graves e que precisaram passar por procedimentos cirúrgicos, uma mais leve, mas também em estado delicado e infelizmente três não resistiram e entraram em óbito no local. A ação rápida da Polícia Militar foi fundamental para que não houvesse mais vítimas", disse.

Após o massacre, equipes da Polícia Científica realizaram a perícia em toda a área e apreenderam a faca utilizada no crime, que estava embaixo de um dos bancos do coletivo.

Uma câmera de monitoramento da prefeitura foi requerida e pode ajudar nas investigações, assim como câmeras de estabelecimentos próximos.

O veículo após passar por perícia foi recolhido para a empresa. Já os corpos de Roseli Ramalho Ferreira, de 55 anos, Adriana Coelho da Silva, de 42 anos, e Valdemar da Silva Venâncio, conhecido como "Bahia", de 68 anos, foram removidos pela funerária de plantão para o IML (Instituto Médico Legal) de Piracicaba.

Roseli Ramalho da Silva chegou a entrar em luta corporal e defender uma passageira que é portadora de deficiência física. Segundo relatos em redes sociais, postados por testemunhas, Roseli era funcionária do Sindicato dos Metalúrgicos de Piracicaba e seguia para casa. "Uma pessoa muito boa, tive o privilégio de ser amiga dela, pessoa calma e humilde. Deus conforte o coração da família e suas filhas", comentou Rosana Lima, amiga da vítima.

Outra amiga de Roseli, que se identificou como Baggi, comentou que ela entrou na frente do homem para proteger uma jovem que era portadora de deficiência. "Ela morreu pra salvar uma pessoa que ela nem conhecia, foi uma heroína. A família está devastada, nunca ninguém imaginaria uma atrocidade dessas", relatou.

Vítima do massacre, Valdemar Venâncio era conhecido como "Bahia", era ex-zagueiro e conhecido no meio futebolístico da várzea piracicabana. A notícia da morte do ex-atleta abalou amigos e a todos que o conheciam. "Nós da Família Katatumba e do Bar da Le, estamos extremamente tristes, perdemos um querido companheiro e ex-zagueiro, o nosso BAHIA", disse o amigo Silvio Luiz.

Roseli deixa marido e duas filhas. Ela será velada a partir das 12h no velório da Vila Rezende, depois, às 15h, o sepultamento será no Cemitério Parque, São Pedro/SP.

Já Valdemar deixa esposa e quatro filhos.

O velório ocorre às 12h no Velório da Saudade, e às 17h o corpo será sepultado no Cemitério Municipal da Saudade. Ainda não há informações sobre velório e sepultamento de Adriana Coelho da Silva.

Pesar

Em nota, a empresa Tupi, que opera o transporte público no município e proprietária do ônibus 8485, onde ocorreu a tragédia, disse que se solidariza com as famílias, "A TUPi Transporte, com profunda tristeza, manifesta apoio e solidariedade às vítimas e seus familiares da tragédia acontecida na tarde desta terça-feira, 21, na Linha 444 – Sônia/ centro. Informações indicam que uma pessoa atacou deliberadamente quem estava em sua frente com uma faca vitimando pessoas e ferindo outras, causando pânico generalizado."

A Prefeitura de Piracicaba também se manifestou em suas redes sociais, "A Prefeitura de Piracicaba manifesta profundo pesar e se solidariza com as famílias das seis vítimas, esfaqueadas por um homem hoje, por volta das 15h15, em um ônibus do transporte coletivo de Piracicaba".

Ao ser informada sobre o ocorrido, a Guarda Civil Municipal prestou apoio imediato à PM com os guardas dos grupamentos Ciclístico e Escolar, Romu (Ronda Ostensiva Municipal), Romo (Ronda Ostensiva Motorizada) e Cemel (Central de Monitoramento Eletrônico). A SEMUTTRAN (Secretaria Municipal de Trânsito e Transportes) também prestou apoio no local.

O Sindicato dos Metalúrgicos de Piracicaba e Região emitiu nota informando que sua sede e o Clube Recreativo estarão fechados por dois dias por motivo de luto, em decorrência do falecimento da funcionária Roseli Ramalho. "Manifestamos nossos sentimentos de pesar e solidariedade a toda família e amigos. As atividades retornam normalmente no dia 23 de junho", disse.

A Câmara Municipal de Piracicaba decretou luto oficial na cidade em decorrência da tragédia.

Coletiva

Durante coletiva de imprensa, a delegada Juliana Ricci informou que o acusado, de 52 anos, era aposentado por invalidez. "Ele pelo que conseguimos apurar previamente, mora no bairro Vila Sônia mesmo e morava sozinho, parece que não tinha família, ele está aposentado por invalidez por problemas renais, ele já tinha uma passagem pela polícia", disse. 

O diretor da Delegacia do Interior (Deinter) 9, Kleber Altale, confirmou as mortes e feridos (Foto: Rafael Rezende/ TodoDia Imagem)

Ao aceitar, você acessará um serviço fornecido por terceiros externos a https://tododia.com.br/