Domingo, 28 Novembro 2021

Funcionários da Honda rejeitam Programa de Demissão Voluntária

CidadesEconomia

Funcionários da Honda rejeitam Programa de Demissão Voluntária

Em assembleias com sindicatos, trabalhadores decidem não aderir ao PDV, que poderia resultado em "demissão em massa" em Sumaré e Itirapina, segundo entidades; empresa não comenta 

Honda Automóveis vem reestruturando suas atividades produtivas desde 2019 ( Foto:Arquivo/TodoDia Imagem)

 Os funcionários das unidades da Honda de Itirapina (SP) e Sumaré recusaram adesão a um PDV (Programa de Demissão Voluntária) proposto pela empresa. Os colaboradores da unidade de Itirapina se reuniram em assembleia promovida pelo Sindicato dos Metalúrgicos de Limeira, Rio Claro e Região nesta sexta-feira (15), enquanto o Sindicato dos Metalúrgicos de Campinas e Região mediou o encontro entre os trabalhadores de Sumaré na quinta (14).

Segundo as entidades, a intenção da empresa é promover uma "demissão em massa", já que não há uma meta de adesão pré-estabelecida e nem a segurança de estabilidade dos funcionários que estarão no programa. A Honda que decide se o trabalhador vai ou não fazer parte da iniciativa.
Atualmente a montadora possui cerca de 2 mil funcionários em Sumaré e outros mil em Itirapina.
O PDV começou anteontem e, de acordo com a empresa, é reflexo dos impactos da pandemia da Covid-19 na cadeia da indústria automotiva.

A empresa optou por transferir a produção de Sumaré para Itirapina e, em consequência disso, alguns colaboradores estariam enfrentando dificuldades para a transferência ou não estariam se adaptando à região de Itirapina, desejando retornar à cidade de origem. Os sindicatos negam.
Em nota, a Honda afirma que não comenta declarações do Sindicato dos Metalúrgicos e reforça que "o objetivo do PDV é oferecer condições para uma transição segura àqueles que contribuíram com a empresa ao longo de suas carreiras, considerando a necessidade de adaptar a operação ao novo ambiente de negócios, impactado pela Covid-19."

A empresa explica que o funcionário cuja adesão for aceita pela empresa terá direito a verbas rescisórias legais (liberação para o saque do saldo do FGTS, multa de 40% do FGTS para fins rescisórios, aviso prévio indenizado, 13° salário proporcional, dias trabalhados, férias vencidas e/ou proporcionais), 12 salários nominais, valor referente a 12 meses de plano de saúde para o titular e atuais dependentes, cartão vale-alimentação no valor de R$ 250,00 ao mês por seis meses e orientação profissional assistida. "A Honda Automóveis vem reestruturando suas atividades produtivas desde 2019, com o objetivo de aumentar a competitividade e a sustentabilidade da operação no longo prazo. A transferência completa da produção de automóveis da fábrica de Sumaré para a unidade de Itirapina, e dos colaboradores envolvidos no processo, será concluída em dezembro", esclarece a empresa.
 

Comentários:

Nenhum comentário feito ainda. Seja o primeiro a enviar um comentário
Já Registrado? Acesse sua conta
Visitante
Domingo, 28 Novembro 2021

Ao aceitar, você acessará um serviço fornecido por terceiros externos a https://tododia.com.br/