Sábado, 25 Junho 2022

Índice de infestação põe Nova Odessa e Sumaré em estado de alerta

Índice de infestação põe Nova Odessa e Sumaré em estado de alerta

Os níveis de infestação domiciliar por larvas do mosquito Aedes aegypti, chamados de "Índice de Breteau", colocam Nova Odessa e Sumaré em estado de at
Os níveis de infestação domiciliar por larvas do mosquito Aedes aegypti, chamados de "Índice de Breteau", colocam Nova Odessa e Sumaré em estado de atenção para uma possível epidemia da doença este ano.

Por amostras coletadas de casa em casa, o índice da densidade larvária apurado em janeiro deste ano em Nova Odessa foi de 3,1 (numa escala que vai até 5,0). Em Sumaré, o índice é de 2,4, enquanto o nível considerado satisfatório é menor que 1,0.

Em Sumaré, os dados foram coletados pela Vigilância em Saúde em todas as regiões da cidade.

Ao todo, foram vistoriados 4.026 imóveis e em 93 deles foram encontradas larvas do Aedes aegypti.

As regiões mais críticas são Picerno/João Paulo e Área Cura, que apresentaram índices de 3,1 e 2,8, respectivamente. De 1,1 a 3,8 significa "estado de atenção". Acima de 3,9 a status é de "alto risco de epidemia", aponta o Índice Breteau.

A Prefeitura de Sumaré informa, por meio da assessoria de imprensa, que a avaliação da densidade larvária é feita quatro vezes ao ano (janeiro, abril, julho e outubro), para direcionar as ações de combate ao Aedes, mosquito transmissor da dengue, zika vírus e chikungunya.

"Em janeiro deste ano, foi registrado um índice de infestação de 2,4 nos imóveis de Sumaré. Ou seja, o município encontra-se em estado de atenção. Em janeiro de 2018, o índice era de 2,6", informou a assessoria. Até ontem (15), Sumaré tinha sete casos de dengue confirmados. Não havia casos suspeitos de zika e chikungunya.

Neste sábado (16), agentes de Endemias e de Saúde de Sumaré fazem um mutirão na região da Área Cura, com visitas de casa em casa, para verificar quintais, aplicar larvicida (se necessário) e entrega de panfletos informativos aos moradores. Também será realizada ação de nebulização no Jardim Bom Retiro.

Equipes da Secretaria Municipal de Serviços Públicos acompanharão a força-tarefa, retirando dos imóveis todos os materiais inservíveis que possam acumular água e servir de criadouro para o Aedes aegypti.

Além do mutirão na Área Cura - região onde foram registrados três dos sete casos de dengue confirmados este ano - a Secretaria de Saúde também montará uma tenda na feira livre da Avenida Rebouças, no Centro, para orientar os moradores sobre o Aedes.

NOVA ODESSA
O Índice de Breteau atual de Nova Odessa é de 3,2, que também representa estado de atenção.

A assessoria de imprensa da prefeitura lista alguns fatores para o índice: aumento natural de larvas devido às chuvas e tempo quente deste período do ano; "notadamente" aumento de criadouros por parte da população e "falta de colaboração dos moradores às inúmeras ações e campanhas realizadas na cidade".

"Em 2019, o cronograma de ações de trabalho foi intensificado na campanha Todos Contra o Mosquito que envolve todas as secretarias municipais e servidores para conscientização e combate em 10 dias de um extenso cronograma, que termina neste sábado (16) com um mutirão de ações na região dos bairros Alvorada e Capuava", informa a prefeitura.

Dentre as doenças causadas pelo Aedes, Nova Odessa registrou de 1º de janeiro até ontem (15) dois casos de dengue.

 

Ao aceitar, você acessará um serviço fornecido por terceiros externos a https://tododia.com.br/