Quinta, 19 Mai 2022

Motoristas de Americana e Santa Bárbara gastam R$ 3 milhões por dia para abastecer

Motoristas de Americana e Santa Bárbara gastam R$ 3 milhões por dia para abastecer

População das duas cidades desembolsa mais de R$ 1 bilhão por ano comprando gasolina e etanol, aponta estudo do governo do Estado 
Preço | Congelamento do ICMS nos combustíveis tenta frear alta nas bombas (Foto: Arquivo/ TodoDia Imagem)
Em meio às recorrentes altas dos preços dos combustíveis, retratadas pelo TODODIA no último sábado (20), americanenses e barbarenses gastarão, se mantidas as cifras atuais, R$ 3 milhões por dia para abastecer os seus veículos com gasolina e etanol.

A constatação foi feita com base em dados divulgados este ano pela Secretaria de Infraestrutura e Meio Ambiente do Estado de São Paulo, que disponibiliza informações sobre o consumo de combustíveis nos municípios paulistas no ano de 2020, e nos preços mais em conta praticados nas bombas de postos de ambas as cidades, segundo o último relatório da ANP (Agência Nacional do Petróleo).

De acordo com a pasta estadual, os americanenses consumiram no ano de 2020, 47,4 milhões de litros de gasolina.

Considerando o valor mais barato praticado nas bombas dos postos de combustíveis, que é R$ 5,99, a população de Americana movimenta cerca de R$ 284 milhões por ano para colocar gasolina - média de R$ 778,2 mil por dia.

O consumo anual de etanol é de 79,7 milhões de litros. Considerando o valor mais barato do produto, que é de R$ 4,79 nas bombas, o gasto anual é de R$ 381,9 milhões - média de R$ 1 milhão por dia.

Os barbarenses compram 32,5 milhões de litros de gasolina por ano. Tendo em vista o valor mais em conta na cidade, que é de R$ 6,04, são desembolsados R$ 196,5 milhões por ano - média de R$ 538,3 mil por dia.

Em relação ao etanol, 51,6 milhões de litros são comprados a cada 365 dias, gerando um movimento de R$ 254,9 milhões - R$ 698,5 mil ao dia, considerando o valor mais barato, que é R$ 4,94.

O professor de economia da PUC (Pontifícia Universidade Católica), Antonio Carlos Lobão, explicou que fatores como aumento do preço dos combustíveis, observados ao longo do ano, redução do uso do transporte público (que teve queda marcante durante a pandemia) e o aumento da frota, na faixa de 1,5% a 1,75% em ambas as cidades, influenciam no consumo da população por combustível.

Morador do bairro Antonio Zanaga, Felipe Pires, de 21 anos, ficou surpreso com o valor anual pago por motoristas para abastecer e disse que não consegue encher o tanque devido ao preço.

"Abasteço de pouco em pouco, não dou conta de encher o tanque, está muito caro e não sabia que se gastava tanto com combustível", disse o jovem.

ALTA DE 44%
Desde o início de 2021, o valor da gasolina subiu ao menos 44% em Americana e Santa Bárbara, passando de R$ 4,50 para até R$ 6,49 - conforme relatório da ANP, refererente ao dia 13. Condutores relataram as dificuldades para abastecer e profissões como a de motorista de aplicativo são as que mais têm sentido o peso dos preços.

O presidente do Recap (Sindicato do Comércio Varejista de Derivados de Petróleo de Campinas e Região), Flavio Campos, destacou o congelamento do ICMS (Imposto sobre a Circulação de Mercadorias e Serviços) por 90 dias nos Estados agora em novembro, o que, em caso de novas altas, deve segurar os valores, na avaliação dele. 

 

Comentários:

Nenhum comentário feito ainda. Seja o primeiro a enviar um comentário
Já Registrado? Acesse sua conta
Visitante
Quinta, 19 Mai 2022

Ao aceitar, você acessará um serviço fornecido por terceiros externos a https://tododia.com.br/