Quinta, 27 Janeiro 2022

Na bomba, alta do diesel pode ser superior a R$ 0,25

CidadesCombustíveis

Na bomba, alta do diesel pode ser superior a R$ 0,25

A alta deve impactar diretamente os fretes, já que o diesel abastece principalmente caminhões, além de ônibus e motoristas de outros veículos 

O novo preço do diesel chega nas bombas nesta quarta-feira (Foto: Guilherme Roque/Futura Press/Folhapress)

O anúncio da Petrobras de uma nova alta de R$ 0,25 no preço do litro do diesel a partir desta quarta-feira (29) repercutiu de imediato nas distribuidoras. Parte delas pararam de receber pedidos ainda na tarde desta terça, enquanto outras, menores, já repassaram o preço antes da vigência prevista.

Eduardo Valdivia, diretor da regional de Campinas do Recap (Sindicato do Comércio Varejista de Derivados de Petróleo), explica que o preço está represado desde a primeira semana de setembro, após o feriado. E, na bomba, a diferença pode ser ainda maior para o consumidor, a depender da política de cada estabelecimento - já que a defasagem frente ao valor do mercado internacional de petróleo é ainda maior, acima de R$ 0,30.

De acordo em ele, esse acréscimo era esperado há mais de uma semana.

Valdivia esclarece que desde 2017 a Petrobras segue a política de preço internacional do petróleo, inicialmente com ajustes diários, e depois apenas quando o preço estava muito fora da média do mercado internacional.

Sobre segurar as altas, ele cogita tanto decisões políticas quanto econômicas.

Se a alta deve impactar diretamente os fretes, já que o diesel abastece principalmente caminhões, além de ônibus, motoristas de outros veículos, também podem ter outro impacto no bolso em breve. "A gasolina está com defasagem de preço próxima a R$ 0,15 frente ao mercado internacional. É um aumento esperado até a próxima semana. A Petrobras segurou até demais para fazer o repasse, já que costumava segurar até R$ 0,10".

Na prática, em vez dos R$ 0,25, a alta seria de R$ 0,23 devido à mistura de 88% diesel puro com 12% de biodiesel.

Valdivia cita ainda o aumento do ICMS pelo governo estadual, na última sexta-feira, que elevou os preços da gasolina e etanol em R$ 0,03.

Ele afirma que em seu estabelecimento está segurando três altas seguidas do imposto, chegando a R$ 0,10. Estima que, se o preço não estabilizar, a gasolina pode ter nova alta até a próxima semana. Já o etanol tem recebido aumento semanal, com R$ 0,04 nesta semana.

Pelo comunicado da Petrobras, o preço médio de venda nas refinarias passa de R$ 2,81 para R$ 3,06 por litro, como "parte da elevação nos patamares internacionais de preços de petróleo e da taxa de câmbio". A estatal ainda justificou que a alteração acontece "após 85 dias com preços estáveis".
 

Comentários:

Nenhum comentário feito ainda. Seja o primeiro a enviar um comentário
Já Registrado? Acesse sua conta
Visitante
Quinta, 27 Janeiro 2022

Ao aceitar, você acessará um serviço fornecido por terceiros externos a https://tododia.com.br/