Quarta, 27 Outubro 2021

Oito a cada dez bares e restaurantes na RMC dizem correr risco de fechar

Oito a cada dez bares e restaurantes na RMC dizem correr risco de fechar

Oito a cada dez bares e restaurantes na RMC (Região Metropolitana de Campinas) dizem correr risco de fechar. Os números fazem parte da pesquisa “Situa

Oito a cada dez bares e restaurantes na RMC (Região Metropolitana de Campinas) dizem correr risco de fechar. Os números fazem parte da pesquisa “Situação Econômica do Setor de Alimentação Fora do Lar”, realizada em fevereiro pela Abrasel (Associação Brasileira de Bares e Restaurantes) junto aos associados.

A pesquisa mostra os impactos causados pelas medidas de restrições de atendimento e vendas decorrentes do isolamento para combate à Covid-19. O recorte dos dados da RMC , traz um panorama do setor sobre perfil (66% são restaurantes e 20% são bares e lanchonetes, dos quais 86% são micro empresas).

Segundo a pesquisa, no tocante à perda de receitas, 66% dos estabelecimentos afirmaram que fecharam janeiro no vermelho. Quase 70% das empresas responderam que devem o Simples Nacional, e as dívidas com aluguel atingem mais da metade das empresas. Mais da metade, 53% dos empresários, têm medo de sair do Simples e 63% das empresas tomaram empréstimos durante a crise no ano passado.

Na questão sobre empregos, 83% dos donos de bares e restaurantes afirmaram ter usado a lei dos salários em 2020 (MP 936). Na média, as empresas têm de dar cinco meses de estabilidade para os funcionários que receberam o benefício.

Com o fim da MP no início deste ano e o agravamento da situação pela segunda onda da pandemia, 83% afirmam que os negócios estão em risco, com grandes chances de fechar se não houver novo auxílio para pagamento de salário/redução da jornada. Das empresas que responderam a pesquisa, 63% fizeram empréstimos durante o ano passado. Para 77% deles, a carência para pagamento já venceu.

Outra questão levantada na pesquisa diz respeito ao aumento de custos. Dois terços dos empresários, 66% dizem que os custos com mercadorias subiram mais de 20% em relação a antes da pandemia. Para reduzir os prejuízos, 82% tiveram de aumentar os preços dos itens do cardápio, mas apenas 2% puderam aumentar preços acima de 20%.

GRAVIDADE

Para o presidente da Abrasel de Campinas e região, Matheus Mason, os dados da pesquisa reforçam a gravidade das dificuldades. Segundo a Abrasil, na região, 25% das empresas do setor tiveram de encerrar suas atividades ao longo do ano passado, e cerca de 25 mil empregos foram eliminados pelo setor da RMC ao longo da pandemia.

“Na esfera estadual, tivemos o recuo do aumento do ICMS e linha de crédito para bares e restaurantes. No âmbito municipal, estamos conversando com as prefeituras, para viabilizar um pacote de auxílio, sendo que algumas cidades já adiaram o pagamento de impostos, mas ainda é insuficiente, por isso estamos apresentando uma proposta unificada, prevendo desconto na água e outras taxas”, informa Mason.

O presidente ressalta que a ampliação da MP 936 do Governo Federal “ é vital para as empresas de todos os setores, e o adiamento constante tem preocupado os empresários, sem caixa para pagar os salários”.

 

Comentários:

Nenhum comentário feito ainda. Seja o primeiro a enviar um comentário
Já Registrado? Acesse sua conta
Visitante
Quarta, 27 Outubro 2021

Ao aceitar, você acessará um serviço fornecido por terceiros externos a https://tododia.com.br/