Sábado, 25 Junho 2022

Preços de aluguéis caem na região de Campinas

CidadesEconomia

Preços de aluguéis caem na região de Campinas

Pesquisa realizada pelo CreciSP também aponta que a locação de imóveis subiu 10% na região
Viana | Presidente CreciSP (Foto: Divulgação)

Preços de aluguéis diminuem na região de Campinas no mês de fevereiro, de acordo com pesquisa realizada pelo CreciSP ( Conselho Regional de Corretores de Imóveis do Estado de São Paulo). O estudo concluiu que a locação cresceu 10% na região, com opção por aluguéis de até R$ 1.250,00. Em janeiro, o valor médio dos imóveis alugados era R$ 1.500,00.

A pesquisa feita pelo Conselho, que apurou as informações com as imobiliárias e corretores, constatou que foi a primeira vez que a faixa dos imóveis mais alugados diminui da média de R$ 1.500,00 mensais desde agosto de 2021, quando as pesquisas começaram a ser feitas na região de Campinas.

De acordo com o presidente do CresciSP, José Augusto Viana Neto, o índice Geral de Preços do Mercado (IGP-M) e a lei de mercado são fatores que podem explicar a mudança. O IGP-M é calculado todos os meses e é gerado a partir da variação dos preços. O indicador varia de acordo com a diferença de preço comparado ao mês anterior.

"O IGP-M teve aumento de 37% ano passado e em janeiro foi a 18%. Isso assustou demais os inquilinos que não tiveram seus salários reajustados em valores tão expressivos e todo mundo correu fora da locação, isso deve ter trazido aos proprietários a preocupação e a baixa de preço", analisa.

A pesquisa também constatou que houve uma preferência por aluguéis de casas do que de apartamentos, tendência que surgiu com o início da pandemia, conforme explica o presidente do CresciSP.

"Com o lockdown e o trabalho remoto, começou a haver uma procura muito grande por casas, e isso não se dissipou, prevaleceu, acho que é uma questão de qualidade de vida, mais conforto", disse.

Viana Neto ainda explicou que alguns apartamentos apresentam taxa de condomínio muito altas, que chegam próximo ao valor da locação, o que pode explicar também a preferência pelas casas.

O estudo envia, mensalmente, um formulário para corretores da região para unir informações sobre a venda de imóveis e sobre os preços.

A pesquisa CreciSP foi feita nas cidades de Água de Lindóia, Americana, Amparo, Artur Nogueira, Campinas, Hortolândia, Indaiatuba, Itapira, Itatiba, Jaguariúna, Mogi Guaçu, Mogi Mirim, Paulínia, Pedreira, Santa Bárbara d'Oeste, São João da Boa Vista, Serra Negra, Sumaré, Valinhos e Vinhedo.

Ao aceitar, você acessará um serviço fornecido por terceiros externos a https://tododia.com.br/