Domingo, 26 Junho 2022

Vereador faz BO contra médica por omissão de socorro em Sumaré

SumaréPOLÍCIA

Vereador faz BO contra médica por omissão de socorro em Sumaré

13 crianças ficaram sem atendimento; três delas estavam aguardando há quase quatro horas  

O parlamentar registrou a situação por meio de fotos e vídeos (Foto: Divulgação)

O presidente da Câmara de Sumaré, vereador Willian Souza (PT), acionou a Polícia Civil e registrou um boletim de ocorrência contra uma médica que teria se negado a prestar atendimento a crianças no Pronto Atendimento do Centro Integrado de Saúde (CIS) de Nova Veneza, na manhã desta quinta-feira (19).

O parlamentar foi procurado por pais que se encontravam na unidade de saúde e denunciaram a situação. Segundo eles, a médica teria se negado a atender as crianças sob a alegação de que não teria recebido o pagamento do Instituto Social Saúde Resgate à Vida (ISSRV), organização social responsável pela contratação de profissionais da saúde no município de Sumaré. A própria médica confirmou para o vereador que o motivo da negativa de atendimento era a falta de pagamento do salário.

"Tentei argumentar, frente à profissional, que, ainda que ela não tivesse recebido seu pagamento, não poderia deixar de atender a população, pois existem outras formas de reivindicação, inclusive por intermédio do sindicato da categoria. Salientei que ela estaria incorrendo em crime de negligência e omissão de socorro", relatou Willian. "Ela não me deixou terminar de falar e, aos gritos, mandou que eu me retirasse do local", completou.

Willian disse que entrou em contato com a Secretaria de Saúde, que atestou que o pagamento referente ao contrato com a organização social está em dia. Ainda dentro da unidade de saúde, o vereador verificou a documentação relativa aos atendimentos realizados desde o início do plantão da médica e constatou que 13 crianças ficaram sem atendimento médico. Três delas estavam aguardando há quase quatro horas.

"A situação que flagrei foi absurda. Nossa região vive uma grave crise na saúde infantil e, onde há condições adequadas para o atendimento, como é o caso do CIS de Nova Veneza, uma médica se recusar a atender crianças? Isso é totalmente inadmissível", questionou.

O parlamentar registrou a situação por meio de fotos e vídeos. Os materiais e o boletim de ocorrência serão encaminhados ao Ministério Público, ao Conselho Municipal de Saúde e ao Conselho Regional de Medicina.

Ao aceitar, você acessará um serviço fornecido por terceiros externos a https://tododia.com.br/