Quarta, 10 Agosto 2022

Thiago Beroco quer ser a nova cara do PT em Nova Odessa

Thiago Beroco quer ser a nova cara do PT em Nova Odessa

Jovem, idealista. O advogado Thiago Beroco, de apenas 33 anos, trabalha para reestruturar o PT de Nova Odessa e levar o partido, pela primeira vez na

Jovem, idealista. O advogado Thiago Beroco, de apenas 33 anos, trabalha para reestruturar o PT de Nova Odessa e levar o partido, pela primeira vez na história, ao comando do Executivo local. 

Ele sabe que o projeto não é fácil. Sabe que vai enfrentar candidatos respaldados por lideranças políticas que há décadas se revezam no poder. Por outro lado, acredita que pode conquistar o eleitorado por ser um nome novo, uma opção de mudança. 

Beroco fala em colocar a máquina pública a serviço dos moradores: quer saúde de ponta, educação para todos, respeito a direitos essenciais. Confira os principais trechos da entrevista concedida ao TodoDia. 

TodoDia - A série de reportagens que publicamos aos domingos procura apresentar, ao eleitorado, quem são os pré-candidatos às prefeituras da região. Nesta semana tratamos de Nova Odessa, e queremos ouvir suas propostas. Nos conte a sua história de vida. 

Thiago Beroco - Eu sou americanense. Passei os primeiros anos da vida no Jardim Alvorada. Estudei na Maestro Germano Benencase. Meu pai, José Roberto, trabalhava como almoxarife, passou por madeireiras, teve um bar. Minha mãe, Edwiges, foi balconista e faxineira antes de passar no concurso público e trabalhar em serviço gerais no Centro Cívico. Mas os dois já se foram. O pai partiu em 2005. A mãe, dez anos depois. Por influência dos meus pais, trabalhei desde muito cedo.  Fui guarda-mirim na Ripasa. Depois tive vários empregos informais: fui office-boy em escritório de contabilidade, carregava lançadeiras em tecelagens. Até que consegui em emprego melhor, com registro em carteira. Por quase oito anos fui funcionário da KSB, empresa importante do setor metalúrgico, sediada ali nas margens da SP-304, ali diante do bairro onde eu nasci. 

Mas hoje vive em Nova Odessa. 

Sim, eu me mudei para Nova Odessa logo que me casei. Na época, fui morar em uma edícula nos fundos da casa do meu ex-sogro.  Com o tempo, eu me divorciei, me casei de novo, mas nunca mais deixei a cidade. Amo Nova Odessa, é aqui que vivo com a minha mulher Janaína, é que aqui que meus dois filhos crescem. 

E trabalha com o quê? 

Hoje sou advogado e atuo em causas trabalhistas, exatamente por conta da minha própria história dentro do PT. Me formei em Direito pela Unisal em 2005, e já prestei serviços a diversos sindicatos da região toda: construção civil, vestiário, metalúrgicos. 

Mas como foi seu envolvimento com o PT? Fale de sua trajetória política. 

O envolvimento com o partido é bem antigo. Me filiei à legenda logo aos 18 anos, quando recebi um convite do ex-vereador Celso Zoppi, um dos grandes nomes do PT de Americana. Mas a minha atuação política era opção pessoal, não dependia de legenda. Eu me apaixonei pela Teologia da Libertação quando fui coordenador da Pastoral da Juventude para a região Sul da Diocese de Limeira, e atuei nas cidades de Americana e Nova Odessa. Desde adolescente, me dedico às causas da igualdade social, do respeito ao trabalho humano. O PT foi a consequência:  eu me identifiquei com as propostas da legenda. 

Mas já teve cargos no partido? 

Quando deixei a KSB, trabalhei como assessor parlamentar para um deputado do PT. E tive a indicação do partido, naturalmente, para a atuação dentro dos sindicatos. Fui construindo a minha história no partido, me tornei bem conhecido na comunidade. 

Seu nome aparece como o suposto candidato do partido à prefeitura de Nova Odessa. Mas você é muito jovem, nunca cumpriu um mandato. O que te leva a acreditar que tem experiência para governar a cidade? 

Eu me apresento ao eleitor exatamente como um candidato jovem, diferente de tudo o que está aí. Nova Odessa é governada há décadas pelo mesmo grupo político. Ainda que apareçam novos nomes, todos eles têm ligações históricas com os mesmos caciques políticos de sempre. Eu sou a opção nova. Sou até a opção de um novo PT, de um partido que mudou, que está mudando. 

O PT, historicamente, não teve muita representatividade na cidade. Por que você acha quer vai ser diferente a partir de agora?   

O meu trabalho, à frente do partido, é exatamente para reestruturar a legenda em Nova Odessa. Vamos resgatar a imagem histórica, da defesa dos trabalhadores, lutar pelos direitos essenciais do povo. Quero mostrar que o PT tirou o País do mapa da fome, construiu universidades, ergueu, à frente do governo federal, uma época de emprego pleno.  Vamos nos aproximar, apresentar nossos nomes, ter uma chapa forte para concorrer ao Executivo, brigar por mais cadeiras na Câmara. Vamos convencer com propostas. Precisamos mudar Nova Odessa. 

Mas do que Nova Odessa precisa para ser melhor do que é? O governo municipal cometeu algum erro? 

Veja bem. Em plena pandemia de Covid-19, Nova Odessa não tem um leito de UTI. A prefeitura gasta toda a arrecadação com obras. Investe no sistema viário, recupera ruas, faz viadutos. E não temos um leito de UTI. Acho que um governo precisa privilegiar os investimentos em projetos sociais, que atendam a quem realmente precisa. O povo precisa ter no governo quem de fato o defenda. Eu quero ser o oposto do que está aí. E sei que a cidade quer experimentar o novo. 

Ao aceitar, você acessará um serviço fornecido por terceiros externos a https://tododia.com.br/