Domingo, 26 Junho 2022

Vendas de automóveis caem 38,9% em janeiro

VeículosMercado

Vendas de automóveis caem 38,9% em janeiro

Foram emplacadas 126,5 mil unidades no mês passado, com uma média de 6.025 automóveis/dia

O resultado inclui carros de passeio, comerciais leves, caminhões e ônibus (Foto: Reuters)

Nenhum empresário do setor automotivo espera bater recordes de vendas em janeiro, mas o resultado alcançado agora ficou bem abaixo das expectativas. As vendas de veículos leves e pesados tiveram queda de 38,9% em comparação a dezembro, segundo dados do Renavam (Registro Nacional de Veículos automotores). Em um cenário normal de início de ano, essa retração deveria estar na faixa de 15% a 25%.

Foram emplacadas 126,5 mil unidades no mês passado, com uma média de 6.025 automóveis/dia. O resultado inclui carros de passeio, comerciais leves, caminhões e ônibus.

Em relação a janeiro de 2021, a queda registrada agora é de 26,1%. Naquele mês, a ilusão de que a pandemia de Covid-19 estava sob controle começava a se dissipar.

A antecipação das compras que tradicionalmente ocorre no fim do ano e o período de férias -das montadoras e de seus clientes- ajudam a explicar o que aconteceu. Mas há outros fatores envolvidos, e o principal deles é a queda nos estoques.

"O resultado é conjuntural e acontece, principalmente, em função dos baixos estoques das concessionárias, em dezembro, e da persistente falta de produtos, ainda provocada pela escassez de insumos e componentes", afirmou o presidente da Fenabrave, José Maurício Andreta Jr., em comunicado à imprensa. Ele citou ainda dificuldades geradas pela alta dos juros dos financiamentos.

No primeiro bimestre de 2020, portanto antes da pandemia, havia veículos suficientes para atender a 42 dias de comercialização.
Em dezembro passado, esse número era de 16 dias.

Com a crise sanitária, veio a quebra das cadeias de fornecimento. A falta de peças, principalmente semicondutores, levou fábricas a interromper a produção de carros. Por isso os estoques caíram rapidamente no Brasil, e vieram as filas de espera.

Em janeiro, todos os segmentos acompanhados pela Fenabrave apresentaram queda nas vendas contra dezembro e na relação anual apenas caminhões, ônibus e motos mostraram avanços de 17,3%, 3,3% e 4,5%, respectivamente.

A Fenabrave também citou como motivos para a queda do mercado em janeiro as fortes chuvas que vêm ocorrendo em várias localidades do país, assim como o aumento do contágio das pessoas pela variante ômicron do coronavírus, que têm provocado queda na visitação de lojas por clientes.

Ao aceitar, você acessará um serviço fornecido por terceiros externos a https://tododia.com.br/