Sábado, 25 Junho 2022

Em Parintins

Em Parintins

A pandemia de Covid-19 deixou indefinida a realização da maior manifestação cultural do Amazonas: o Festival Folclórico de Parintins. Tradicionalmente

A pandemia de Covid-19 deixou indefinida a realização da maior manifestação cultural do Amazonas: o Festival Folclórico de Parintins.

Tradicionalmente realizada no último final de semana de junho, a festa, que atrai, em média, 60 mil turistas por ano para a pequena ilha de Parintins, na região do Baixo Amazonas, foi suspensa no final de maio e ainda não tem nova data para acontecer, segundo o governo do estado.

O alto risco de contaminação no evento, que além de atrair turistas do mundo todo para a cidade, reúne mais de 17 mil pessoas no Bumbódromo de Parintins durante três noites seguidas, é o motivo da suspensão do festival, que aconteceria neste fim de semana.

Sem falar nos cerca de 7.000 artistas dos bumbás Caprichoso e Garantido, que se apresentam na arena, e nas centenas de trabalhadores envolvidos na produção, transporte e segurança de alegorias.

O cancelamento do evento na data tradicional foi anunciado dia 25 de maio, mas desde então o governo do estado não se posicionou mais sobre a realização do festival, que movimentou mais de R$ 476 milhões na economia de Parintins entre 2005 e 2019, atraindo mais de 750 mil turistas para a ilha que, em 2019, gastaram, em média, R$ 147,39 por dia na cidade.

Na semana passada, em uma carta conjunta assinada pela diretoria dos dois bois, Caprichoso e Garantido cobraram a definição, mesmo que provisória, de uma nova data para a festa, para garantir que as agremiações tenham tempo para se preparar.

"Definir uma nova data, dentro do quadro de possibilidade de recrudescimento da pandemia, não significa necessariamente que o festival seja realizado sem as devidas exigências da segurança sanitária. Pelo contrário. É claro que se os riscos da pandemia continuarem, ninguém, em sã consciência, seria irresponsável de insistir na realização do evento e, certamente, nesse sentido, prevalecerá o bom senso de todos", diz o documento, no qual os bumbás citam como exemplo festas de São João do Nordeste, que foram adiadas para outubro.

A Amazonbest, empresa contratada pelos bumbás para comercializar ingressos e pacotes para o festival, também informou que aguarda a definição dos realizadores (Governo do Amazonas, Prefeitura de Parintins, Caprichoso e Garantido), mas que os clientes podem optar entre solicitar crédito para o Festival de Parintins de 2021 ou o reembolso dos valores pagos.

Ao aceitar, você acessará um serviço fornecido por terceiros externos a https://tododia.com.br/