PUBLICIDADE

PUBLICIDADE

Sumaré inicia capacitação para acolhimento de vítimas de violência doméstica

Todos os gerentes das unidades básicas de saúde do município já receberam a capacitação, bem como guardas municipais

Com o início do funcionamento da Casa Lar Mulher, o CREAS (Centro de Referência Especializado de Assistência Social) de Sumaré vem realizando uma série de capacitações a servidores municipais, com o objetivo de organizar o fluxo de atendimento a vítimas de violência doméstica e, desta forma, garantir um serviço de acolhimento e proteção de maior qualidade às mulheres e seus dependentes.

PUBLICIDADE

Todos os gerentes das unidades básicas de saúde do município já receberam a capacitação, bem como guardas municipais. Também devem receber as orientações, entre outras, as equipes das UPAs (Unidades de Pronto Atendimento) Macarenko e Matão e da DDM (Delegacia de Defesa da Mulher).

“Sumaré tem avançado muito nos serviços de atendimento e acolhimento às mulheres e, diante desses avanços, com o funcionamento de novos serviços, identificamos a necessidade de reforçar junto às equipes envolvidas as orientações sobre o fluxo de atendimento a vítimas de violência doméstica. Os setores precisam se comunicar melhor para que nossas mulheres, crianças, adolescentes, idosos recebam um atendimento de alta qualidade”, explicou o secretário municipal de Inclusão Social, Edson Cosme.

PUBLICIDADE

Em resumo, assim que identificar uma vítima de violência doméstica, por exemplo, o colaborador precisa identificar se há sinais de agressão física. Em caso positivo, a vítima precisa ser encaminhada para uma das UPAs para atendimento médico e, em caso de violência sexual, também para o CRESSER (Centro de Referência de Saúde Sexual e Reprodutiva).

A unidade de saúde deve, então, acionar o CREAS e orientar o paciente a registrar um boletim de ocorrência na DDM ou Plantão Policial (aos fins de semana). Já quando não houver sinais de violência física, a vítima deve ser encaminhada diretamente ao CREAS, que realizará todo o acompanhamento e demais encaminhamentos que se fizerem necessários, como, por exemplo, para a Casa Lar Mulher, Conselho Tutelar, OAB (Ordem dos Advogados do Brasil), entre outros. Além de reforçar o fluxo de atendimento, as capacitações – realizadas pela própria equipe do CREAS – também abordam estratégias de proteção e acolhimento que podem ser adotadas pelos servidores.

PUBLICIDADE

“Proteger aqueles que se encontram em situação de risco ou vulnerabilidade e combater a violência doméstica tem sido uma das prioridades da nossa gestão. Já implantamos a ‘Sala do Bem’ na UPA Macarenko, voltada para acolhimento de pessoas vítimas de violência, inauguramos a BEM (Base de Excelência da Mulher) no Ambulatório de Especialidades, uma área privativa de atendimento médico feminino, e também sancionamos recentemente a ‘Patrulha Maria da Penha’, um trabalho integrado entre diversos setores da Prefeitura para proteção, monitoramento e acompanhamento das mulheres vítimas de violência. Mais recentemente, passamos a contar também com a Casa Lar Mulher, outro belíssimo projeto de acolhimento e inclusão social no nosso município. Com tantas novidades, é essencial orientar nossos colaboradores para que todos os serviços funcionem de forma integrada e eficiente, levando mais carinho e dignidade às nossas mulheres e seus dependentes”, enfatizou o prefeito Luiz Dalben.

PUBLICIDADE

Pin It on Pinterest

Share This