Sábado, 27 Novembro 2021

Tuberculose – Zoonose

Blog do Tic TacAnimais

Tuberculose – Zoonose

Se eles falassem, pediriam para ir ao Médico Veterinário – Parte III

A Tuberculose é considerada rara em cães (Foto: Divulgação)

Neste terceiro e último capítulo da nossa série "Se eles falassem", o assunto é tuberculose em cães, uma
doença rara, mas o tutor deve sempre ficar atento.

A Tuberculose é considerada rara em cães, no entanto, por se tratar de uma zoonose - doença transmitida dos animais para os seres humanos - deve sempre ser prevenida. A Tuberculose é causada pela bactéria Mycobacterium tuberculosis, porém esse microrganismo possui muitas variações.

O subtipo que mais ameaça os cães é o Mycobacterium bovis, encontrado principalmente nos bovinos. A tuberculose pode acometer diferentes tipos de animais, como aves, mamíferos e répteis, no entanto, os cães são imunes as cepas da tuberculose aviária.

A transmissão da Tuberculose pode ocorrer de várias maneiras, no entanto, a tosse é classificada como a principal forma de propagação da doença. Quando um cão tosse, são expelidas gotículas de saliva contendo o agente infeccioso, com isso, as pessoas ou animais ao redor acabam inalando e contraindo a doença.

Outra forma bastante comum é ingerir leite de vaca sem a inspeção de um profissional. As vacas tuberculosas transmitem a doença também pelo leite. Assim como os cães podem transmitir a doença para o homem, o ser humano também pode transmitir para o animal.

Os sinais clínicos da tuberculose em cães podem ser facilmente passados despercebidos, ou até mesmo acontecer de os animais não demonstrarem nenhum sinal de que possuem a doença.

Muitas pessoas pensam que a tuberculose afeta unicamente o pulmão, porém na realidade ela pode acometer outras partes do corpo, tais como: Ossos, rins, meninges e etc. Quando a doença aparece de forma sintomática, ou seja, apresenta sintomas, podem surgir os seguintes sinais clínicos: Relutância a fazer exercícios físicos ou brincar; Tosse seca persistente; Perda de peso sem causa aparente; Dispnéia; Tosse com pus ou sangue; Prostração; Aumento na ingestão de água; Febre e entre outros.

A utilização de animais em ensino e pesquisa O diagnóstico é feito por um médico veterinário através de um exame clínico minucioso e exames complementares. O teste de Mantoux utilizado nos seres humanos pode não ser tão confiável em cães, por isso são utilizados outros exames para confirmação da doença. Exame radiográfico do pulmão e exames laboratoriais podem ajudar a fechar o diagnóstico de forma mais segura.

O tratamento da tuberculose é feito através de uma terapia medicamentosa de longa duração. Durante o tratamento, o cão ainda pode transmitir a doença para outros animais e até mesmo para as pessoas.

Por conta disso, muitos tutores optam pela eutanásia do animal como medida de segurança. Quem decidirá se fará o tratamento ou não é o tutor.

A prevenção consiste na separação de cães ou do Homem que estejam em tratamento da tuberculose. Não colocar seu pet junto de animais que não se sabe a procedência; tomar um cuidado maior com cães com patologias crônicas; levar o pet rotineiramente para uma avaliação por um médico veterinário.

Os sinais clínicos citados podem ser indicativos de outras doenças, por isso é importante a avaliação por um médico veterinário.


 

Comentários:

Nenhum comentário feito ainda. Seja o primeiro a enviar um comentário
Já Registrado? Acesse sua conta
Visitante
Sábado, 27 Novembro 2021

Ao aceitar, você acessará um serviço fornecido por terceiros externos a https://tododia.com.br/