PUBLICIDADE

PUBLICIDADE

Comércio aposta em vendas maiores no Natal após 5 anos

Pela primeira vez, desde 2014, os lojistas de Americana projetam resultados positivos para o período

O comércio de Americana espera um crescimento de até 5% nas vendas do período de Natal, em comparação com as do ano passado. Estima- -se que nos dias de pico – às vésperas da data, pelo menos 15 mil pessoas circulem pelo calçadão e comprem presentes. Estimativas modestas, talvez. Mas alentadoras para um segmento que sobreviveu bravamente, mergulhado em uma crise que começou em 2014.

PUBLICIDADE

De acordo com o presidente da Acia (Associação Comercial e Industrial de Americana), Wagner Armbruster, a economia do Brasil dá sinais de reação. “A expectativa é de crescimento real das vendas. E o movimento maior já é notado no calçadão”, afirma . E um fenômeno que vem sendo notado há algum tempo ganha ainda mais força: corredores comerciais nos bairros registram movimento intenso, e o crescimento nas vendas é certo.

O otimismo, fala o presidente, decorre do engajamento dos comerciantes em uma campanha que, desde o começo do mês, busca atrair os consumidores. A estratégia traçada horários especiais das lojas, Papai Noel na casinha montada na Vieira Bueno, atrações artísticas e barracas de alimentação na praça central. Além disso, o trenzinho circula pelos bairros. Americanenses de todas as idades entram no clima natalino.

PUBLICIDADE

CRÉDITO

As opções de lazer e entretenimento são importantes, mas o momento econômico, na visão dos analistas, é que apontam para resultados positivos no comércio. O controle inflacionário, a melhora do crédito e a leve redução dos índices de desemprego são fatores essenciais para os lojistas apostem em dias melhores.

PUBLICIDADE

De acordo com os economista Fábio Bentes, da Confederação Nacional do Comércio de Bens, Serviços e Turismo, o IPCA abaixo dos 3% anuais e a liberação de saques do FGTS ajudaram muito. O consumidor se encoraja para reservar um dinheirinho e comprar presentes. Os comerciantes aproveitam o cenário e oferecem opções de parcelamento maior.

CAUTELA

Mas é cedo para soltar rojões. Luís Augusto Idelfonso, da Associação Brasileira de Lojistas de Shopping Centers (Alshop), faz uma análise conjuntural e afirma que o governo deve continuar investindo em reformas com vistas ao crescimento efetivo e constante da economia nacional. Na sua opinião, aumento anual do PIB é irrisório por enquanto, e a queda na taxa nacional de desemprego (de 12,7% para 11,8%) ainda comprovam que há muito a ser feito, e o Brasil ainda está muito longe da estabilidade econômica do período anterior à crise.

A expectativa é de crescimento real das vendas, depois de anos frustrantes. E nós já notamos o movimento maior de clientes no calçadão

WAGNER ARMBRUSTER

presidente da Acia

PUBLICIDADE

Pin It on Pinterest

Share This