PUBLICIDADE

PUBLICIDADE

Quadrilha faz reféns, assalta loja e explode caixas de banco

Grupos armados levam o terror à madrugada da pacata Iracemápolis, entre Piracicaba e Limeira

Duas ações criminosas simultâneas, na madrugada de ontem (6), levaram pânico à pequena Iracemápolis. A cidade de 20 mil habitantes – localizada entre Piracicaba e Limeira – foi atacada por uma quadrilha fortemente armada que, segundo a Polícia, circulou pela cidade em dois grupos.

PUBLICIDADE

O primeiro atacou uma loja de conveniências de um posto de combustíveis, enquanto a segunda parte do grupo explodiu os caixas eletrônicos de uma agência bancária do Centro da cidade. Não houve registro de feridos.

O ataque à loja serviu, possivelmente, para atrair a atenção de policiais, enquanto os outros integrantes do bando detonavam explosivos no Bradesco. Durante o assalto no posto, oito pessoas foram mantidas reféns, perfiladas, sob a mira de armas. A cena foi gravada por câmeras de segurança.

PUBLICIDADE

No posto, as vítimas que serviriam como escudos humanos. As duas ações dos bandidos duraram menos de meia-hora e quando os policiais chegaram ao posto e também ao banco, os marginais tinham saído e os reféns, libertados. Segundo a Polícia, a quadrilha roubou apenas algumas bebidas da loja de conveniência do posto, mas fez vários disparos de fuzis, provocando danos no local, mas sem feridos.

O objetivo principal do bando estava em outro ponto da cidade. Era a agência do Bradesco, que ficou quase completamente destruída após uma forte explosão na área onde ficavam os caixas eletrônicos. Segundo a Polícia, apesar de toda a destruição, os bandidos não teriam conseguido levar dinheiro, já que os cofres dos equipamentos não foram danificados.

PUBLICIDADE

Uma equipe do GATE (Grupo de Ações Táticas Especiais) da PM de São Paulo foi acionada para verificar se ainda havia explosivos no banco. A agência suspendeu o atendimento ao público ontem e, como o prédio sofreu muitas avarias, não há prazo para que a agência volte a funcionar – e nem garantia de que o banco continue no mesmo prédio.

Há exatos três anos, em 6 de setembro de 2016, o mesmo banco sofreu assalto, segundo a Polícia. Nenhum suspeito foi preso e a Polícia Civil não revela se algum dos veículos foi abandonado pelos ladrões.

  • Facebook
  • Twitter
  • LinkedIn
  • Pinterest

PUBLICIDADE

PUBLICIDADE

Pin It on Pinterest

Share This