terça-feira, 25 junho 2024
MERCADO DO AGRONEGÓCIO CRESCCE

Agronegócio paulista volta a criar empregos e tem melhor abril dos últimos quatro anos

Começo da colheita das principais culturas, perspectiva de expansão da safra 22/23 e chuvas impulsionam setor que gerou 3,8 mil vagas
Por
Isabela Braz
Foto: Reprodução/Thinkstock

Segundo dados do Novo Caged (Cadastro Geral de Empregados e Desempregados), que registra o número de empregos formais em todo o país, o setor do agronegócio terminou o mês de abril com saldo positivo de empregos no Estado de São Paulo, sendo 2023 o melhor resultado para o mês nos últimos quatro anos.

O número de admissões superou o de demissões em 3,8 mil vagas. Com isso, o agro foi o setor que apresentou o maior crescimento percentual no estoque de empregos em relação a março (1,1%).

Em 2022, o saldo de abril havia sido negativo, tendo mais de 1,8 mil vagas que foram fechadas. Nos anos anteriores, a criação de vagas não chegou sequer à metade da registrada agora, foram 1.496 em 2020 e 1.027 em 2021.

No setor do agro, o saldo positivo puxado mais para a área da cana de açúcar, seguida pelas atividades de apoio à agricultura (como preparação da lavoura), milho, café e atividades de apoio à produção florestal.

Segundo levantamento da Secretaria de Agricultura e Abastecimento, por meio do IEA/APTA (Instituto de Economia Agrícola) e da (Coordenadoria de Assistência Técnica Integral), os fatores acontecem pelo aumento da produção na safra 22/23. O alto índice de chuvas registrados no fim do verão também impulsionaram a produtividade nas atividades da lavoura.

Existem alguns cuidados que implicam em aumento de produtividade, segundo a pesquisadora e vice-presidente do Instituto Agronômico de São Paulo, Regina Célia de Matos Pires: preparo, adubação e correção de acidez do solo; condução fitossanitária (controle, quando necessário, de pragas e doenças); controle de época de colheita e disponibilidade hídrica, principalmente para as culturas de sequeiro, que são produzidas sem irrigação.

A pesquisadora do Instituto Agronômico também diz que os empregos também estão mais qualificados. “Um ciclo de produção com bom volume de chuva e de maneira distribuída leva a uma boa produtividade. Se existe uma demanda por alimento, como nós temos, e é possível conseguir uma boa remuneração, é de se esperar que o agricultor vá investir mais nas práticas culturais e nas tecnologias que utiliza. Então além da absorção de mão de obra, há também absorção de uma mão de obra mais qualificada”, explica.

Receba as notícias do Todo Dia no seu e-mail
Captcha obrigatório

Veja Também

Veja Também