domingo, 3 março 2024
ECONOMIA

Bolsas da Europa fecham mistas, após PIB da China renovar temores sobre recuperação econômica

Madrid e Lisboa encerraram em alta, apoiadas, respectivamente, por papéis do setor de telecomunicações e energia
Por
Agência Estado
Foto: Euronews

As bolsas da Europa fecharam mistas nesta segunda-feira (17) com a maior parte dos índices encerrando no vermelho após o Produto Interno Bruto (PIB) da China frustrar expectativas do mercado e renovar dúvidas sobre a recuperação do gigante asiático.

Na contramão, Madrid e Lisboa encerraram em alta, apoiadas, respectivamente, por papéis do setor de telecomunicações e energia. O índice pan-europeu Stoxx 600 fechou em queda de 0,60%, a 458,08 pontos. Em Milão, o índice FTSE MIB recuou 0,19%, a 28 608,54 pontos.

O avanço de 6,3% na taxa anual do PIB da China durante o segundo trimestre deste ano, abaixo da estimativa de alta de 6,9% de analistas consultados pelo Wall Street Journal, abriu a semana em tom “desapontador” na Europa, avaliou a Oanda. “Os dados chineses não ajudaram a impulsionar o pregão de uma maneira mais positiva. A demanda interna está abaixo do esperado e a demanda externa também não está inspirando. Estímulos econômicos serão necessários no segundo semestre”, observou a consultoria.

Em relatório, o Commerzbank analisou que os dados devem fazer com que o Banco do Povo da China (PBoC, na sigla em inglês) intensifique seus esforços de estímulos. Contudo, as medidas provavelmente serão direcionadas “devido ao estresse fiscal que os governos locais estão enfrentando”, alertou o banco.

A fraqueza na recuperação da China levanta preocupações sobre a demanda global, tendo em vista que o país é a segunda maior economia do planeta e o maior importador de commodities. Neste cenário, ações de grandes mineradoras como Anglo American (-2,49%), Rio Tinto (-2,42%) e Glencore (-2,82%) fecharam em queda no mercado inglês, pressionando o índice FTSE100 a fechar em baixa de 0,38%, a 7.406,42 pontos, em Londres.

Em Frankfurt, o índice DAX fechou em queda de 0,23%, a 16.068,65 pontos. Hoje, investidores também acompanharam divulgação do relatório mensal do BC da Alemanha (Bundesbank). Nele, a instituição afirma que a economia alemã voltou a crescer no segundo trimestre, sem divulgar estimativas para o Produto Interno Bruto (PIB). A confirmação do avanço na atividade econômica confirma o fim da recessão registrada no início deste ano, apontou o Bundesbank.

Já em Paris, o índice CAC40 fechou em baixa de 1,12%, a 7.291,66 pontos. Em destaque no mercado francês, as negociações de ações do grupo varejista Casino Guichard-Perrachon – que controla o Grupo Pão de Açúcar (GPA) no Brasil – foram suspensas hoje, em meio a notícias de que a empresa recebeu uma nova oferta de injeção de capital pelas EP Global Commerce e Fimalac, controladas pelo bilionário checo Daniel Kretinsky e Marc Ladreit de Lacharrière.

Na contramão, o índice IBEX 35 fechou estável, a 9.438,00 pontos, em Madrid, após operar em alta na reta final do pregão, recebendo suporte do avanço de 0,27% nos papéis da Telefónica. A empresa figurou entre as ações mais negociadas nesta segunda-feira e subiu, na esteira de reportagem da Bloomberg sobre possível venda de participação em um grupo empresarial espanhol.

Em Lisboa, o índice PSI 20 também contrariou pares e fechou em alta de 0,49%, a 6.016,69. Destaque neste pregão, empresas do setor de energia lideraram o avanço no mercado português, entre elas, Galp Energia (+1,87%) e Greenvolt Energias Renováveis (+0,90%).

Receba as notícias do Todo Dia no seu e-mail
Captcha obrigatório

Veja Também

Veja Também