quinta-feira, 25 julho 2024
EVENTOS ASTRONÔMICOS

Chuva de meteoros acontece entre quarta-feira (13) e sexta-feira (15)

Observação da passagem dos meteoros pela Terra poderá ser feita de quase todo o planeta; diversos pontos do Brasil poderão observar a passagem das Geminídas.
Por
Ana Flávia Defavari
Passagem das Geminídas pela Ilha Kvaløya na Noruega. Foto: Divulgação / Nasa – Bjørnar G. Hansen

Entre os dias 13 e 15 de dezembro, o Brasil terá a oportunidade de presenciar e observar o pico da chuva de meteoros geminideos. Conhecida como a mais confiável dentre as recorrentes chuvas de meteoros que passam pela Terra todo o ano, as Geminídas são registradas desde o século 19 todo mês de dezembro, quando o nosso planeta cruza durante a sua trajetória entorno do sol com a orbita do asteroide 3200 Phaethon onde há pequenas rochas e destroços do asteroide.

A chuva leva o nome de Geminídas, justamente pelos meteoros parecerem estar vindo da constelação de Gêmeos.

O fenômeno teve seu primeiro registro neste ano no dia 19 de novembro, quando os primeiros meteoros do 3200 Phaethon começaram a cruzar a orbita da Terra e devem seguir até a véspera de Natal no dia 24, tendo seu pico, onde a taxa de meteoros por hora aumenta significativamente, entre os dias 13 e 15 de dezembro.

Neste ano, a chuva de meteoros tem uma visibilidade muito maior do que em 2022 pelo motivo que estaremos em uma fase lunar mais apropriada para observação de eventos astronômicos, a Lua Nova, o que permite que haja um bom contraste entre os meteoros e a luminosidade da lua.

As Geminídas são uma das chuvas mais bonitas pela composição química que os meteoros possuem junto da rocha que compõe seu corpo celeste trazendo um rastro entre o esverdeado e o amarelo, diferente de outros corpos celestes que possuem um rastro branco ou incolor.

No Brasil, contando com a previsão do tempo para as regiões, as melhores visibilidades para acompanhar a chuva de meteoros são o sul e leste do Tocantins e o Nordeste que tem baixa probabilidade de chuva e nebulosidade. Em ambos será possível acompanhar a partir das 21h30 do dia 14.

O Centro-Oeste, principalmente as regiões de Goiás, Leste do Mato Grosso e o Pantanal Sul-mato-grossense tem poucas nuvens e a chuva de meteoros poderá ser vista a partir das 23h do dia 14.

O interior do Maranhão, região de Teresina e Oeste de Piauí terão a visibilidade de média para baixa porque há um risco relativamente grande de pancadas de chuva no começo da noite desta quinta-feira (14). O Norte terá grandes dificuldades de ver a chuva de meteoros pelo risco de chuva e grande nebulosidade.

Para o Sul e o Sudeste a visibilidade depende exclusivamente das condições meteorológicas, já que há possibilidade de chuva durante o evento astronômico.

São esperados cerca de 120 meteoros por hora durante o pico das Geminídas, para observa-las é recomendado um local com baixa iluminação artificial comum nas cidades e paciência.

Foto: Divulgação / NASA/MSFC/Danielle Moser, Escritório de análise de Meteoros da NASA
Receba as notícias do Todo Dia no seu e-mail
Captcha obrigatório

Veja Também

Veja Também