terça-feira, 23 abril 2024
DEMOCRACIA INABALADA

Congresso sedia ato em marco de um ano de invasão aos prédios dos três poderes

Evento unirá membros do executivo, legislativo e judiciário para reforçar a importância da democracia brasileira restituir ao patrimônio público.
Por
Isabela Braz
Foto: Marcelo Camargo/Agência Brasil

Na data que marca um ano da invasão de extremistas aos prédios dos Três Poderes da República, em Brasília, diversos atos a favor da democracia acontecem nesta segunda-feira (8).

O mais significativo deles, é o ato sediado pelo Congresso Nacional, às 15h, com uma cerimônia solene intitulada “Democracia Inabalada”, contando com a presença do presidente da República, Luiz Inácio Lula da Silva (PT), do presidente, Rodrigo Pacheco (PSD), bem como do presidente do Supremo Tribunal Federal (STF), Luis Roberto Barroso.

O objetivo do evento é reafirmar a importância e a força da democracia brasileira e restituir ao patrimônio público, de maneira simbólica, alguns itens depredados durante a invasão.

São esperados cerca de 500 convidados. Dentre eles, a ex-ministra do STF que presidia a corte na época dos ataques, Rosa Weber, o vice-presidente Geraldo Alckmin (PSB), presidentes dos tribunais superiores, o procurador-geral da República, Paulo Gonet, governadores, ministros de estado, secretários executivos dos ministérios, presidentes de estatais e representantes das organizações da sociedade civil.

O presidente da Câmara dos Deputados Arthur Lira (Progressistas) não comparecerá ao evento por problemas de saúde na família.

Foto: Marcelo Camargo/Agência Brasil

Roteiro

Na abertura do ato, será executado o Hino Nacional pela cantora e ministra da Cultura, Margareth Menezes. Em seguida, farão uso da palavra os presidentes dos Três Poderes. Encerrando a solenidade, as autoridades do dispositivo principal irão até a entrada do Salão Nobre do Senado, para a reintegração simbólica ao patrimônio público de uma tapeçaria de Burle Marx e de uma réplica da Constituição Federal de 1988.

A obra de Burle Marx (sem título) foi criada em 1973 e vandalizada durante a invasão do Palácio do Congresso Nacional em 8 de janeiro. Após minucioso trabalho de restauração, a tapeçaria voltou ao patrimônio do Senado. Já a réplica da Constituição foi recuperada, sem qualquer dano, após ter sido furtada da sede do Supremo, também no dia 8 de janeiro.

Repercussão da data
Nas redes sociais, o presidente Lula replicou um artigo publicado por ele nesta data no jornal norte-americano Washington Post. O presidente relata todo o acontecido e destaca que ações extremistas não devem ser repetidas.

“As instituições brasileiras e a sociedade se uniram e garantiram a proteção da nossa democracia. É isso que nós une. Lembrar para que nunca mais aconteça”, disse Lula.

O presidente da Câmara dos Deputados, Arthur Lira, reforçou que atos de violência como os acontecidos há um ano devem ser repudiados e todos os responsáveis legais punidos. “A liberdade de manifestação e o direito fundamental de protestar jamais podem se converter em violência e destruição”, destaca Lira.

Os órgãos do Senado Federal, STF e Câmara dos Deputados reforçaram o repúdio e o valor da democracia no país. Representantes desses poderes não se manifestaram.

Receba as notícias do Todo Dia no seu e-mail
Captcha obrigatório

Veja Também

Veja Também