Domingo, 24 Outubro 2021

Discurso do desmatamento é mecanismo europeu para criar barreiras ao Brasil, diz Onyx

Discurso do desmatamento é mecanismo europeu para criar barreiras ao Brasil, diz Onyx

O ministro da Casa Civil, Onyx Lorenzoni, disse nesta quinta-feira (22) que o discurso de países europeus sobre o desmatamento na Amazônia é uma polít
O ministro da Casa Civil, Onyx Lorenzoni, disse nesta quinta-feira (22) que o discurso de países europeus sobre o desmatamento na Amazônia é uma política para criar barreiras ao Brasil. "Os europeus usam a questão do meio ambiente por duas razões: a primeira para confrontar os princípios capitalistas. Porque desde que caiu o muro de Berlim e desde que a União Soviética fracassou, umas das vertentes para qual a esquerda europeia migrou foi a questão do meio ambiente. E a outra coisa é para estabelecer barreiras ao crescimento e ao comércio de bens e serviços do Brasil."
A jornalistas, após o evento "Brasil de Ideias", realizado pela primeira vez em São Paulo pelo Grupo Voto, o ministro afirmou que nos anos de 1980, 1990 e 2000, a febre aftosa foi utilizada como um instrumento de proteção mundial para evitar exportações de carne e de grãos brasileiros. Na avaliação de Lorenzoni, como o controle acabou com essa questão, hoje há a busca por outra alternativa para impedir o avanço brasileiro.
"Só no vinho, os europeus gastam 1,4 bilhão de euros por ano para dar sustentação a produção europeia. Por que eles têm tanto interesse em criar dificuldades ao Brasil? O Brasil é o grande competidor em commodities, em bens minerais e é o último grande depósito da humanidade em biodiversidade", disse. "O Brasil é um país que cuida muito bem do seu meio ambiente. Nós não precisamos de lição de ninguém."
Sobre a aprovação de MP (medida provisória) da Liberdade Econômica, ocorrida nesta quarta-feira (21) no Senado, Lorenzoni minimizou a retirada do trecho das folgas aos domingos. Segundo o ministro, a alteração conceitual trazida pela medida é uma revolução, na qual o cidadão passa a ter razão sobre o governante, até que se prove o contrário, e foi isso, segundo ele, que impulsionou o crescimento dos Estados Unidos.
"O Estado brasileiro sempre foi imperial. Nós quebramos algo que historicamente prejudicava as liberdades das pessoas, e isso é muito maior que o problema dos domingos."O ministro da Casa Civil, Onyx Lorenzoni, disse nesta quinta-feira (22) que o discurso de países europeus sobre o desmatamento na Amazônia é uma política para criar barreiras ao Brasil.
"Os europeus usam a questão do meio ambiente por duas razões: a primeira para confrontar os princípios capitalistas. Porque desde que caiu o muro de Berlim e desde que a União Soviética fracassou, umas das vertentes para qual a esquerda europeia migrou foi a questão do meio ambiente. E a outra coisa é para estabelecer barreiras ao crescimento e ao comércio de bens e serviços do Brasil."
A jornalistas, após o evento "Brasil de Ideias", realizado pela primeira vez em São Paulo pelo Grupo Voto, o ministro afirmou que nos anos de 1980, 1990 e 2000, a febre aftosa foi utilizada como um instrumento de proteção mundial para evitar exportações de carne e de grãos brasileiros. Na avaliação de Lorenzoni, como o controle acabou com essa questão, hoje há a busca por outra alternativa para impedir o avanço brasileiro.
"Só no vinho, os europeus gastam 1,4 bilhão de euros por ano para dar sustentação a produção europeia. Por que eles têm tanto interesse em criar dificuldades ao Brasil? O Brasil é o grande competidor em commodities, em bens minerais e é o último grande depósito da humanidade em biodiversidade", disse. "O Brasil é um país que cuida muito bem do seu meio ambiente. Nós não precisamos de lição de ninguém."
Sobre a aprovação de MP (medida provisória) da Liberdade Econômica, ocorrida nesta quarta-feira (21) no Senado, Lorenzoni minimizou a retirada do trecho das folgas aos domingos. Segundo o ministro, a alteração conceitual trazida pela medida é uma revolução, na qual o cidadão passa a ter razão sobre o governante, até que se prove o contrário, e foi isso, segundo ele, que impulsionou o crescimento dos Estados Unidos. "O Estado brasileiro sempre foi imperial. Nós quebramos algo que historicamente prejudicava as liberdades das pessoas, e isso é muito maior que o problema dos domingos."
 

Comentários:

Nenhum comentário feito ainda. Seja o primeiro a enviar um comentário
Já Registrado? Acesse sua conta
Visitante
Domingo, 24 Outubro 2021

Ao aceitar, você acessará um serviço fornecido por terceiros externos a https://tododia.com.br/