quarta-feira, 24 abril 2024
MAIS MÉDICOS

Inscrições para programa do Governo Federal terminam nesta quarta-feira (31)

Edital abrange mais de 5.970 vagas em 1.994 municípios do país. 1.028 vagas são do estado de São Paulo
Por
Por Isabela Braz
Foto: Foto: Myke Sena/Ministério da Saúde

Terminam nessa quarta-feira (31) as inscrições para o programa Mais Médicos, do Governo Federal, que tem como prioridade trazer novos profissionais para o SUS (Sistema Único de Saúde), principalmente para as regiões com mais vulnerabilidade assistencial no campo da saúde.

O Ministério da Saúde divulgou no último dia 22, edital que abrangia 5.970 vagas distribuídas em 1.994 municípios em todas as regiões do Brasil, para recompor vagas ociosas dos últimos quatro anos, além de mil vagas inéditas para a Amazônia Legal. 1.028 vagas são do estado de São Paulo.

As preferências para as vagas são para os profissionais brasileiros formados no país. Mas vale destacar que também poderão participar brasileiros formados no exterior ou estrangeiros, que continuarão atuando com o RMS (Registro do Ministério da Saúde) em vagas não ocupadas por médicos com registro no país

Para se inscrever, basta acessar o Sistema de Gerenciamento de Programas pelo endereço eletrônico do Mais Médicos: https://maismedicos.saude.gov.br/. Após a validação da inscrição, os candidatos poderão indicar até dois locais de atuação da sua preferência entre os dias 1 e 5 de junho.

Segundo dados do Ministério da Saúde, o programa atualmente conta com mais de oito mil médicos. A expectativa do Governo Federal é chegar até o final desse ano com a marca de 28 mil profissionais atuando por todas as áreas do país.

Cerca de 45% das vagas estão em regiões de vulnerabilidade social e historicamente com dificuldade de provimento de profissionais.

BENEFÍCIOS
O Governo Federal reformulou o Mais Médicos para torná-lo mais atrativo aos profissionais e aumentar o tempo de permanência no programa, em especial nas áreas mais vulneráveis e de difícil acesso, que historicamente sofrem com a falta de médicos.

Uma das novidades é a oportunidade de especialização em Medicina de Família e Comunidade e mestrado em Saúde da Família. Levantamento feito pelo Ministério da Saúde aponta que 41% dos participantes do programa desistem em busca de capacitação e qualificação.

Serão 44 horas de carga horária nos cursos de aperfeiçoamento, com 36 horas semanais dedicadas às atividades assistenciais e oito horas para atividades de formação.

Os profissionais também passarão a receber incentivos, proporcional ao valor da bolsa, pela permanência no programa e para atuarem em regiões de vulnerabilidade. Os médicos alocados nessas regiões, ao permanecerem por 48 meses, poderão receber incentivo de R$ 120 mil – equivalente a 20% do total recebido no período.

Para atrair médicos formados com auxílio do Financiamento Estudantil (FIES), esses profissionais, de acordo com critérios de localidade, tempo de atuação e valor da dívida, poderão receber até R$ 475 mil de incentivos.

As médicas que se tornarem mães durante o período de atuação no programa terão direito a licença maternidade de seis meses, com complemento do valor pago pelo INSS para alcançar o valor da bolsa do Mais Médicos. O mesmo benefício se estenderá aos médicos que se tornarem pais, com direito a 20 dias de licença.

Receba as notícias do Todo Dia no seu e-mail
Captcha obrigatório

Veja Também

Veja Também