Sábado, 13 Agosto 2022

Trabalho escravo: ex-patroa não pagava salário a doméstica porque ‘a considerava da família’

Brasil + Mundoescravidão

Trabalho escravo: ex-patroa não pagava salário a doméstica porque ‘a considerava da família’

Durante 54 anos, Madalena foi maltratada e acumulou dívidas feitas pela patroa 

Doméstica recomeça vida após resgate de trabalho análogo à escravidão na Bahia (Foto: Reprodução/TV Bahia)
A doméstica Madalena Santiago da Silva foi resgatada ano passado após trabalhar em situação análoga à escravidão por 54 anos sem receber salário. Ela sofreu em Lauro de Freitas, região metropolitana de Salvador.

Em justificativa ao Ministério do Trabalho, a ex-patroa, Sônia Seixas Leal, alegou que não pagava o salário da doméstica porque "a considerava da família".

Durante todo esse tempo de trabalho na casa da família de Sônia, Madalena foi maltratada e acumulou dívidas feitas em seu nome pela patroa.

A história da doméstica repercutiu nas redes sociais quando em uma entrevista afirmou que não se sentia digna em pegar na mão de pessoas brancas.
Ela ainda teve R$ 20 mil da sua aposentaria roubados pela filha do casal para quem trabalhava.

"Eu estava sentada na sala, ela passou assim com uma bacia com água e disse que ia jogar na minha cara. Aí eu disse: 'Você pode jogar, mas não vai ficar por isso'. Aí ela disse: 'Sua negra desgraçada, vai embora agora'", disse Madalena na entrevista em entrevista à TV Bahia. "Era um sábado, 21h, chovendo e eu não sabia para onde ir", lembrou. 

Ao aceitar, você acessará um serviço fornecido por terceiros externos a https://tododia.com.br/