Consumo de carne deve cair para alimentar 10 bi em 2050

É o que diz o relatório lançado ontem pelo World Resources Institute (WRI) na COP-24 do Clima, em Katowice, na Polônia

Para alimentar uma população que pode chegar a 10 bilhões de pessoas em 2050, será necessário quadruplicar a produtividade agropecuária e reduzir a demanda por carne entre seus maiores consumidores, entre eles o Brasil.

É o que diz o relatório lançado ontem pelo World Resources Institute (WRI) na COP-24 do Clima, em Katowice, na Polônia.
“Como alimentar o mundo sem destruí-lo é a grande questão desta metade do século”, diz Craig Hanson, um dos autores do documento e vice-presidente de Alimentos, Florestas, Água e Oceanos do WRI.

O estudo analisou soluções para responder a três desafios principais: a segurança alimentar de 10 bilhões de pessoas em 2050, a redução das emissões de gases-estufa e o controle da expansão das terras agrícolas sobre áreas de preservação.

Para tanto, o relatório aponta um caminho que passa por novas políticas públicas, iniciativas de mercado, avanços tecnológicos e mudanças no padrão de consumo de carne -já que ruminantes como boi, cordeiro e cabra requerem dois terços da terra agrícola global e contribuem com aproximadamente metade de todas as emissões da agricultura e da mudança de uso da terra, segundo o trabalho.

“O mundo não precisa se tornar vegetariano, mas deve moderar o consumo de carne”, afirma Hanson.

A proposta do estudo é frear a projeção atual de crescimento de 88% na produção de carne de ruminantes até 2050, na comparação com 2010.

Para isso, será necessário que os maiores consumidores de carne do mundo -especialmente em países como Brasil, Estados Unidos e Rússia, totalizando 20% da população mundial- limitem sua dieta a 40% da quantidade de carne que costumavam comer em 2010.

Pin It on Pinterest

Share This