Domingo, 26 Junho 2022

Acia apresenta estudo para mudar a Área Azul em Americana

Acia apresenta estudo para mudar a Área Azul em Americana

Comerciantes de Americana apresentaram novamente sugestões para aprimorar a Área Azul Digital. E o resultado deste estudo foi entregue pelo presidente

Comerciantes de Americana apresentaram novamente sugestões para aprimorar a Área Azul Digital. E o resultado deste estudo foi entregue pelo presidente da Acia (Associação Comercial e Industrial de Americana), Wagner Armbruster, ao prefeito Omar Najar (MDB), anteontem. 

A empresa que explora o serviço de estacionamento rotativo na área comercial, a Estapar (Hora Park Sistema de Estacionamento Rotativo Ltda), também receberá uma cópia do estudo, informou a entidade. 

Tão logo a Área Azul Digital entrou em vigor, em fevereiro do ano passado, a Acia já havia apresentado sugestões de mudanças, que foram incorporadas ao sistema. 

Agora, as novas propostas - não divulgadas à imprensa - foram encaminhadas aos órgãos competentes da prefeitura, para análise. 

O prefeito postou uma mensagem e uma foto sobre o recebimento das sugestões na sua página no Facebook. 

"O trabalho reúne a opinião de lojistas e clientes da região central e aponta sugestões de melhoria. Considero um documento importante, que será avaliado e as sugestões levadas em consideração dentro das nossas possibilidades", comentou o prefeito, na rede social. 

O presidente da Acia informou que encomendou o estudo, mas não detalhou as sugestões à reportagem. "A associação comercial não está alheia a todo o processo de mudança da cidade", disse o presidente. 

"O objetivo é aprimorar a qualidade dos serviços e tornar toda a realidade do Centro de Americana, onde a Estapar está atuando e onde é a Área Azul, de uma forma mais acessível, mais agradável e que favoreça o comércio e a população", disse Armbruster. 

Tão logo o sistema digital entrou em operação houve polêmica, que ecoou na Câmara e na prefeitura. Passado um ano, já ocorreram mudanças no sistema. 

A Estapar só vai se pronunciar após ter acesso a todas as propostas, informou a assessoria da empresa. 


SAIBA MAIS 

A Área Azul Digital começou a operar em Americana em 14 de janeiro de 2019, em caráter experimental, e com cobrança pelas vagas no início de fevereiro do ano passado. Foram abertas 2.020 vagas na área comercial, para facilitar o estacionamento e as compras dos consumidores. O valor da hora é de R$ 2,50 para carros e R$ 1 para motos. 


MARIA GIOVANA: MOVIMENTO CONTRA MULTAS 

Um movimento coordenado pela vereadora Maria Giovana Fortunato (PCdoB) pretende entregar ao prefeito Omar Najar (MDB) a minuta de um projeto de lei solicitando a adoção de uma política maleável com relação às multas aplicadas por estacionamento irregular na cidade. 



[caption id="attachment_34618" align="aligncenter" width="1024"] MARIA GIOVANA | Vereadora coordena movimento para mudanças na Área Azul

Pré-candidata a prefeita, ela organizou a coleta de assinaturas na tarde de ontem, no calçadão da Rua Fernando Camargo. A ideia é que qualquer motorista multado na Área Azul tenha um período de 24 horas para procurar a Estapar e efetuar um pagamento adicional por ter permanecido na vaga por um tempo superior ao permitido. 

O movimento vai seguir nas próximas três semanas, com caminhadas pelo Centro e coleta de assinaturas. 

Giovana propõe transformar a multa da Área Azul em taxa de R$ 27,61, relativa a uma Ufesp (Unidade Fiscal do Estado de São Paulo). O motorista teria um prazo de 24 horas para pagar a taxa, e se livrar da multa que hoje é de R$ 195,23. 

"Vamos tentar reduzir o número de multas aplicadas pela empresa concessionária do serviço e fomentar novamente a vinda de consumidores ao Centro de Americana", afirma. 

"Precisamos retomar e resguardar a saúde financeira dos comércios centrais", defende. 

Giovana diz que a cidade tem uma média de 224 infrações diárias na Área Azul. "Se continuar assim, daqui a pouco o Centro vai ser uma cidade fantasma. Ninguém mais vai aparecer pra fazer suas compras", afirmou. 

De acordo com a vereadora, os recursos arrecadados com a taxa seriam revertidos ao Fundo Municipal de Trânsito. 

"Nosso objetivo é envolver a população. O sistema do estacionamento rotativo não foi bem aceito, e assim que as multas começaram a ser emitidas ficou ainda pior", afirmou a vereadora, que garante ter apoio de comerciantes, insatisfeitos com o movimento na região central. 

 
Com Rogério Verzignasse 

Ao aceitar, você acessará um serviço fornecido por terceiros externos a https://tododia.com.br/