domingo, 3 março 2024
CONFIRMADO

Americana confirma primeira morte por febre maculosa

Coordenador da Vigilância Ambiental omitiu a informação em entrevista à Rede TodoDia; Segundo informações da Vigilância Epidemiológica, a vítima teria sido infectada em Limeira; O laudo da causa da morte foi confirmado nesta sexta-feira (16)
Por
Henrique Fernandes
Foto: Reprodução

Apesar de ser omitida a informação de que haviam casos suspeitos da febre maculosa em Americana, através de entrevista à Rede TodoDia concedida pelo coordenador da Vigilância Ambiental Antonio Jorge da Silva Gomes, na última quinta-feira (15), nesta sexta-feira houve a confirmação do primeiro caso de morte. A vítima fatal é uma moradora de Americana, de 58 anos, faleceu em decorrência da febre maculosa no Hospital Municipal “Dr. Waldemar Tebaldi” no dia 8 de junho. O laudo do Instituto Adolfo Lutz foi confirmado nesta sexta-feira (16) e o local provável de infecção ocorreu no município de Limeira, segundo informação da Vigilância Epidemiológica de Americana.

No dia 4 de junho, a vítima apresentou sintomas que evoluíram, como febre, dor de cabeça, náusea, vômito, dores musculares e prostração geral. No dia 7, ela procurou atendimento médico no Pronto Atendimento do Zanaga e no dia seguinte foi transferida ao HM de Americana.

De acordo com a Vigilância Epidemiológica, existem nove casos suspeitos em Americana que aguardam confirmação laboratorial. Um deles participou do evento realizado na fazenda Santa Margarida, em Campinas, local das infecções que causaram quatro óbitos.

Ações intensificadas
Americana reforçou, nesta semana, a campanha contínua que já realiza. Estão sendo instaladas mais placas nos locais de risco e ampliadas as ações de conscientização por meio das redes sociais, cartazes e panfletos, além de um trabalho em parceria entre a Vigilância e a Secretaria de Educação, para levar o tema aos estudantes.

Na área da Saúde, está sendo feito um trabalho junto aos médicos e enfermeiros da atenção básica e do pronto atendimento (nas UPAs e Hospital Municipal), a fim de que seja redobrada a atenção em relação aos sintomas da febre maculosa brasileira, uma vez que o diagnóstico e tratamento nos primeiros dias da doença eleva as chances de cura.

Ações já realizadas
Americana conta, desde 2006, com o PVCE (Programa de Vigilância e Controle do Escorpião e Carrapato), que monitora as áreas de risco e mantém placas de advertência à população, alertando sobre a presença do carrapato-estrela nesses locais.

Os profissionais realizam pesquisa do carrapato-estrela em pontos estratégicos, principalmente margens de rios, córregos e riachos, bem como em toda a orla da Represa Salto Grande, áreas consideradas de risco para a transmissão da febre maculosa brasileira, destacadas a partir da identificação de casos confirmados da doença e locais de infecção.

Além disso, a Secretaria de Meio Ambiente e o Instituto Biológico da Secretaria Estadual de Agricultura e Abastecimento firmaram uma parceria para realizar ações de controle e diminuição da população do carrapato-estrela por meio da aplicação de um agente de controle biológico nas áreas de risco do município. A parceria teve início no final do ano passado e terá novas etapas nos próximos meses.

Sintomas
Os principais sintomas da febre maculosa brasileira são febre de início súbito e geralmente alta, mialgia (dor no corpo) e cefaléia (dor de cabeça), podendo apresentar, além destes, náusea/vômito, manchas avermelhadas na pele, dores abdominais. Além dos sintomas descritos, é importante ressaltar que os casos suspeitos normalmente tiveram picadas de carrapato e/ou frequentaram áreas de risco para a doença e/ou tiveram contato com animais silvestres ou domésticos. A doença tem alta taxa de letalidade, mas tem cura e o tratamento é feito por meio de antibióticos. Por isso, é fundamental buscar atendimento médico o mais rápido possível ao apresentar os sintomas.

Confira como foi a entrevista do coordenador da Vigilância Ambiental sobre a febre maculosa:

Receba as notícias do Todo Dia no seu e-mail
Captcha obrigatório

Veja Também

Veja Também