Americana contrata empresa para combater a dengue

Prefeitura vai investir R$ 528 mil para ações de combate ao mosquito transmissor da dengue, chicungunha e zika vírus em 240 mil imóveis

Americana vai investir R$ 528 mil para ações de combate ao mosquito transmissor da dengue, chicungunha e zika vírus. A prefeitura contratou a empresa Sime Prag do Brasil, de Rio das Pedras, para ação contra o mosquito e suas larvas em 240 mil imóveis, durante seis meses.

O contrato, que deve ser iniciado dentro de 90 dias, prevê até mil horas de nebulização na cidade na tentativa de evitar a proliferação do Aedes aegypti.

A prefeitura quer ampliar as ações para enfrentamento e controle dessas doenças, as chamadas “arboviroses”, incluindo a febre amarela.

Os funcionários da empresa contratada se somarão aos 24 agentes do Programa Municipal de Controle da Dengue. Entre janeiro a novembro deste ano, a cidade registrou 16 casos positivos da doença.

O combate se dará em duas frentes: a primeira delas, por controle químico, com a aplicação de larvicidas químicos ou biológicos, e de inseticidas na nebulização, para eliminar o mosquito propriamente dito.

A outra forma de combate será mecânica, com a instalação de telas em caixas d’água e a limpeza e desobstrução de calhas, eliminando criadouros onde as larvas se desenvolvem.

As equipes da empresa contratada deverão trabalhar de segunda a sexta-feira, 8h por dia, visitando 40 mil imóveis por mês.

VISITA CASA A CASA

Os funcionários deverão ser devidamente identificados com crachás e fotos recentes e farão visitas casa a casa, em prédios públicos e particulares, como terrenos e construções.

Caso estejam fechados, os imóveis serão visitados novamente, conforme previsto pela Administração Municipal.

Haverá tratamento diferenciado nos locais considerados estratégicos para a eliminação dos criadouros do mosquito, como borracharias, cemitérios, comércio de sucatas e recicláveis, floriculturas, escolas, rodoviária, unidades de saúde e outros imóveis com circulação de grande número de pessoas. Nestes locais, o combate será mecânico e químico, com a aplicação de veneno.

“A contratação é necessária em razão do número reduzido de agentes para o desenvolvimento das ações, conforme pactuado com o Ministério da Saúde, não sendo a primeira vez que se faz esse tipo de contratação”, destacou a Administração Municipal, em nota.

As aplicações de inseticida serão feitas com equipamento carregado nas costas, próprio para a nebulização, e os produtos químicos a serem utilizados serão fornecidos pela Prefeitura.

Além dos crachás de identificação, os trabalhadores também deverão usar roupas e equipamentos de proteção individual adequados à atividade.

 

 

Pin It on Pinterest

Share This