sexta-feira, 24 maio 2024

Americana tem casas de até R$ 16 mi

Setor imobiliário de luxo está em alta na cidade e existe oferta de casas com 12 garagens, elevador e adega

Procura é segmentada , mas foi impulsionada por home-office (Divulgação / Mauro Spadafora / Doma Imobiliária)

Ao menos cinco dormitórios – suítes, cinco salas, área ampla de lazer, 12 vagas de garagem, adega, jardim de inverno, elevador, área de churrasqueira com piscina, ofurô, hidromassagem, quadra poliesportiva, solarium e lareira externa, são algumas das peculiaridades de imóveis super valorizados em Americana.

A cidade possui casas de luxo à venda que ultrapassam a cifra dos R$ 10 milhões. Mesmo com altos valores, esse tipo de mercado está bastante aquecido na cidade, segundo corretores de imóveis. O imóvel citado acima possui 940,6 metros quadrados e está avaliado em R$ 10,5 milhões.

A casa de alto padrão fica localizada no bairro Chácaras Letônia, em Americana.

A propriedade também conta com acabamentos em porcelanato, gratino, ardósia e mármore. 

Além de desembolsar R$ 10,5 milhões, o futuro morador terá de pagar, anualmente, R$ 12.892,00 de IPTU (Imposto Predial Territorial Urbano) e, mensalmente, R$ 3.333,00 de condomínio. 

Apartamentos na região do Jardim Girassol são um dos mais bem avaliados em Americana, com valores de R$ 5,8 milhões. 

O imóvel é uma cobertura de 684,5 metros quadrados com quatro quartos, seis banheiros, seis vagas de estacionamento, área gourmet com churrasqueira, escritório e piscina.

Com o condomínio no valor R$ 5,7 mil, o comprador também terá acesso ao espaço de lazer do edifício, composto por salão de jogos, academia, brinquedoteca, churrasqueira e piscina.

Segundo o diretor geral de imobiliária, Valdemir Gomes Doma, para uma casa ser considerada de alto padrão é preciso seguir alguns critérios. “A base de uma casa de alto padrão é o condomínio fechado, com uma metragem mínima de 200 metros quadrados, mínimo três quartos, piscina, acabamento e normalmente é conceito aberto”, explica.

Na cidade, é possível encontrar imóveis ainda mais caros, como uma casa na região da Represa de Salto Grande, de R$16 milhões. O corretor de imóveis destacou que esse tipo de venda é segmentada e que a procura por imóveis milionários aumentou na cidade após o relaxamento da pandemia e a flexibilização do crédito mobiliário. 

Outro fator que impulsionou o mercado imobiliário na região foi o home office, adotado por muitas empresas. “Além de clientes da região, tem muitos dos grandes centros, como Campinas e São Paulo, devido ao home office, estão procurando maior qualidade de vida”, disse.

Receba as notícias do Todo Dia no seu e-mail
Captcha obrigatório

Veja Também

Veja Também