terça-feira, 25 junho 2024
DINHEIRO PÚBLICO SEM USO

Câmara de Americana gasta R$ 400 mil com prédio antigo ainda não entregue em quase dois anos

Os valores desembolsados com antiga sede na Praça Divino Salvador são para empresa de segurança - com vigilantes no local - e contas de IPTU, água e energia elétrica
Por
Henrique Fernandes

A Câmara Municipal de Americana funciona no novo prédio desde junho de 2022. No entanto, a antiga sede do Poder Legislativo, localizada na Praça Divino Salvador, ainda não foi devolvida ao proprietário e gerou gastos de R$ 405.666,60 aos cofres públicos em um ano e seis meses sem uso. Segundo dados do Portal da Transparência, durante esse período, a Câmara desembolsou R$ 335.015,11 pagos à empresa Worldwide Segurança Ltda, com quatro vigilantes que trabalham durante o dia e a noite, além de pagar R$ 70.651,50 com contas de IPTU, água e energia elétrica.

Fora isso, ainda existem as reformas feitas no local que foram orçadas em aproximadamente R$ 200 mil, segundo o ex-presidente Câmara Municipal, o vereador Thiago Martins (2021-2022), e o atual chefe da Casa, o vereador Thiago Brochi (2023-2024). O TODODIA solicitou acesso às informações do contrato, como valores, empresa responsável e datas, através da Lei de Imprensa, mas não foi atendida. Os dois parlamentares e a empresa afirmam que falta a parte da pintura, mas não admitem falta de responsabilidade com o dinheiro público e atribuem à burocracia o tempo de demora para entregar o prédio antigo.

Martins foi o responsável pela mudança da sede do Legislativo ao prédio na Avenida Monsenhor Bruno Nardini, que também é alugado. Questionado sobre o motivo pelo qual o prédio ainda não foi entregue, o vereador disse que era pra questionar o atual presidente do Legislativo. “Não foi entregue até dezembro de 2022 pelo motivo do tempo hábil (…) Eu respondo até o ano de 2022. A partir do momento em que saímos de lá e viemos pra cá, começamos a fazer os orçamentos e, infelizmente, quem conhece sabe da burocracia do Poder Público (…) Eu sei que foi feito o serviço e tenho informação que terminou agora na primeira semana de 2024. Se não me engano, na próxima semana é a vistoria para entregar o prédio. Eu sou responsável pela Câmara até 31 de dezembro de 2022”, disse Martins.

A inauguração oficial da nova sede ocorreu no dia 4 de junho de 2022. Na época, Thiago Martins disse que a mudança resultaria numa economia de R$ 200 mil por ano. “A respeito de valores, eu não consigo mencionar qual é o valor que hoje é gasto, quanto é gasto, quanto não é. Porque aí já cabe à presidência. O presidente é responsável pelos gastos da Câmara Municipal (…) Quando eu entreguei a presidência, no dia 31 de dezembro de 2022, ao presidente Thiago Brochi, ele assumiu todos os ônus que tinha da Câmara, as coisas que tinha para trás em andamento.”

Ele disse ainda que o proprietário tinha feito um orçamento inicial no valor de R$ 1,6 milhão. Após conversas com o dono, Martins disse que um engenheiro da Câmara teria conseguido um orçamento de aproximadamente R$ 200 mil. “Essa foi a licitação que o presidente Thiago Brochi fez, eu não acompanhei. Eu não sei o que estava dentro dela e porque ainda não devolveu no período”.

Dono do prédio confirma que falta pintura

A reportagem conversou por telefone com um dos sócios da empresa B.C Empreendimentos e Participações Ltda, dona do prédio antigo. Ele disse que falta apenas a pintura para a conclusão das reformas. “É a reforma de entrega para voltar o que era antes. Eu não sei o valor que fecharam. É com eles (…) Licitação? Não tem nada disso não. Que eu saiba não (…) Eu sei que eles têm de entregar o prédio de acordo. Eu sei que eles fizeram uma licitação para pintura, mas não sei desse valor nem nada”, comentou.

Questionado primeiramente sobre o que faltava para a entrega, o sócio disse que não sabia. “Boa pergunta, de cabeça eu não tenho. Aí seria com o engenheiro, pois fizeram uma vistoria lá”. Minutos depois, na mesma ligação, comentou que teria algumas pinturas e acabamentos para serem feitos. “Nós fizemos a concessão de várias coisas para baratear, mas não sei o valor que ficou”, relatou. Porém, depois confirmou que a licitação teria atrasado e que faltaria apenas o acabamento da pintura. “Eu sei que foi feita uma licitação, mas não sei do que é e quanto é porque eu não sou parte nisso. Eu acho que é só a pintura que falta (para entregar o prédio)”, finalizou.

O que diz o atual presidente da Câmara?

O atual presidente da Câmara Municipal de Americana, o vereador Thiago Brochi, disse que pretende finalizar as obras neste mês. “Eu espero, agora nesse primeiro mês de janeiro, finalizar tudo para que a gente possa entregar o prédio e vida nova aqui na Câmara Municipal. Entregar o prédio da maneira que a gente acabou encontrando. No momento, eu estou como presidente e cabe à minha pessoa fazer a entrega da pintura, da segurança e outras observações para evitar qualquer tipo de problema”, declarou o presidente.

Brochi afirmou que “a responsabilidade é minha de entregar. Eu vou passar pra quem? Eu não posso ficar olhando no retrovisor”. Entretanto, também nega falta de responsabilidade com o dinheiro gasto e disse não saber o valor gasto com as reformas na Praça Divino Salvador. “Eu não sei de cabeça o valor exato. Nós discutimos isso no final do ano. Tínhamos os valores. Mas apareceram os primeiros valores de R$ 1 milhão, passando até desse valor e, com bastante diálogo, conseguimos reduzir esse valor para R$ 200 mil”.

Ele atribui a morosidade ao processo licitatório. “Porque teve as ações que a gente acompanhou. Teve a licitação que não é fácil de fazer. A gente acompanhou no prédio a questão de pintura, os retoques e outros contratempos eu não lembro de cabeça, não sei se foi por algum motivo de equipamento, de chuva ou andaime (…) Tudo aquilo que eu fiz como presidente de acompanhar, fiscalizar e exigir que fosse entregue mais rápido possível eu fiz. Então, eu estou com a minha consciência muito tranquila”, afirma o Chefe do Legislativo.

Sobre os gastos, Brochi disse que “não tem remédio e nem mágica” para resolver o “problema”. “É um dinheiro público e eu sempre tratei a Câmara Municipal com responsabilidade, tratando aqui a gestão sobre o tema de dinheiro público”, complementou.

A assessoria de imprensa do Legislativo não respondeu aos questionamentos sobre os detalhes da licitação das reformas e informou que a secretária-geral da Câmara, Juliana Nandin de Camargo está de férias até segunda-feira (15).

Em setembro do ano passado foi demolido o antigo plenário da Câmara, era um anexo da construção principal. Durante outubro de 2023, a empresa dona do prédio, pediu uma prorrogação de contrato por seis meses para realizar as reformas necessárias e que devem ser finalizadas até março deste ano, ficando o prédio sob a responsabilidade da Câmara durante este período para a realizar das obras área 1B, dentro do prédio.

Receba as notícias do Todo Dia no seu e-mail
Captcha obrigatório

Veja Também

Veja Também