quarta-feira, 28 fevereiro 2024

Câmara Municipal de Americana apoia “Março Roxo” campanha de conscientização sobre a epilepsia

Por
Jaqueline Durões

A campanha visa conscientizar a população sobre a epilepsia e combater o preconceito 

Foto: Divulgação
Nos dias atuais, somos conectados em tempo real, com qualquer parte do mundo. E mesmo assim, ainda existe muito preconceito e sofrimento perante o impacto do diagnóstico de epilepsia e suas consequências. Pensando nisso, a Câmara Municipal de Americana declarou oficialmente o seu apoio à campanha Março Roxo de conscientização e defesa dos direitos das pessoas com epilepsia.

O ato de tornar consciente, ou receber uma informação a respeito de determinado assunto, é o significado de conscientização. A importância desta campanha para a cidade é aproveitar desta oportunidade para entendermos, e sermos mais empático com o próximo.

As ações tomadas pela Câmara Municipal ao longo do mês atendem a lei municipal de autoria do vereador Thiago Brochi (sem partido), Presidente do Legislativo Municipal, que incluiu o Março Roxo no calendário oficial de eventos da cidade.

Sobre a Campanha Março Roxo

Esta campanha teve início em 2008, no Canadá, e celebra anualmente no mundo todo, no dia 26 de março, o “Purple Day” (Dia Roxo), dedicado à reflexão sobre a epilepsia, suas formas de tratamento e prevenção.

Como apoio à campanha, a tribuna livre da sessão ordinária desta terça-feira (7) contará com a presença da neuropsicóloga Veviane Spergue, fundadora do Movimento de Apoio à Pessoa com Epilepsia (MAPE Americana), e do neurocientista Dr. Li Li Min, professor titular da Unicamp, médico e gestor, para falar temas relacionados ao distúrbio, causas, sintomas, tratamento e direitos das pessoas com epilepsia.

De acordo com dados da Organização Mundial da Saúde (OMS), a epilepsia atinge mais de 50 milhões de pessoas no mundo.

A epilepsia não tem cura, mas na maior parte dos casos pode ser controlada com medicação e o paciente pode levar uma vida normal.

“Pessoas com epilepsia apresentam maior dificuldade para inclusão em diversos aspectos da sociedade. Essa realidade em parte é devido ao desconhecimento e à falta de informação sobre mecanismos sociais que amparem e assegurem o direito das pessoas com epilepsia de forma contínua (…) O objetivo da lei e deste apoio da Câmara ao Março Roxo é exatamente promover ações educativas sobre a conscientização do distúrbio e dos direitos dessa população”, comentou o presidente da Câmara e autor da lei municipal, vereador Thiago Brochi. 

Receba as notícias do Todo Dia no seu e-mail
Captcha obrigatório

Veja Também

Veja Também