terça-feira, 25 junho 2024

Chegada da Semana Santa aumenta vendas de peixes, em Americana

Demanda também causa crescimento nos preços; confira cuidados necessários para realizar compras 

Foto: Marcelo Matias / Rede TodoDia

No período da Páscoa, uma das tradições católicas requer não comer carne vermelha na Sexta-feira Santa. Por isso, o comércio de peixes costuma faturar muito nessa época e a expectativa para as vendas é grande no país inteiro. No município de Americana, não é diferente.

A Rede TODO DIA realizou uma entrevista com o Samir Reis Moreira, que trabalha em uma loja no Mercado Municipal de Americana, e disse que a procura também acontece com a merluza e tilápia. “A gente foca bastante nas vendas de peixe nessa semana, principalmente o bacalhau, é o que gente mais indica e o pessoal sempre busca. Além dele, tem a merluza e tilápia, levam bastante essas duas […] As vendas aumentaram bastante e a gente tá com a expectativa bem alta, né? Vai ser bem corrido”, afirmou o vendedor.
O consumidor Marcos Roberto Lopes também garantiu o seu bacalhau para os próximos dias. “Comer um peixinho é bom para o final da Semana Santa. O bacalhau foi o escolhido dessa vez”, contou Marcos.
Ele também afirmou que os produtos tiveram um aumento nesse período da Páscoa. “O preço dos peixes subiu um pouco, principalmente o bacalhau, subiu bastante, teve uma alteração boa nos valores”, completou o comprador.
A alta procura geralmente causa o aumento nos preços, e é necessário ter cuidado com a variação e a qualidade dos produtos. Em entrevista ao TODODIA, o coordenador do Procon de Americana, Estevão Luiz Cardoso Pavan, falou sobre alguns cuidados que os consumidores podem ter nesse momento.
“Agora na proximidade da Páscoa a demanda acaba aumentando, então um dos cuidados é verificar se o produto está fresco, refrigerado e se ele tem um bom aspecto. Geralmente, os olhos estão brilhantes, as guelras estão vermelhinhas e as escamas não estão soltando. Nós recomendamos também fazer uma pesquisa antes de efetuar a compra, como verificar os valores em vários locais. Não compre sempre no primeiro estabelecimento, às vezes você encontra em outro local, um pouco mais em conta. Essa é uma dica válida para todos os itens, inclusive, como ovos de Páscoa, por exemplo”, explicou o coordenador.
De acordo com o Código de Defesa do Consumidor, as embalagens também precisam conter informações como: pesos bruto e líquido, características sobre a denominação do produto, identificação de origem, produtor e prazo de validade. O preço também deve estar visível nas gôndolas, tanto o valor da unidade quanto o correspondente ao quilo do produto.

Outra recomendação é estar atento às pesagens, principalmente, em produtos onde o gelo pode ser utilizado, para que não pague a mais pela mercadoria. “Quando o consumidor quer levar o peixe e deseja manter ele gelado, o vendedor tem que pesar o peixe sem o gelo, e depois que fez a pesagem, acrescenta o gelo pra manter o produto”, acrescentou Estevão.
Segundo o Ipem-SP, nesses e outros casos, o comprador pode solicitar a conferência do peso do produto em uma balança no próprio local da compra.

Reclamações
Caso o consumidor encontre alguma situação que considere irregular no momento da compra de algum pescado, é possível efetuar uma reclamação no site https://www.procon.sp.gov.br/. Se o problema tiver relação com a pesagem ou outras métricas, pode recorrer ao Ipem-SP, no telefone 0800 013 05 22, de segunda a sexta, das 8h às 17h, ou enviar e-mail para ouvidoria@ipem.sp.gov.br.

Outras eventuais dúvidas do consumidor sobre a conservação e disposição dos pescados, devem ser encaminhadas para a vigilância sanitária do município. Em Americana, o órgão está localizado na rua Hermes Fontes, 95, Vila Omar em Americana. O horário de funcionamento é de segunda a sexta, das 9h às 16h. O telefone para contato é (19) 3475-3590. 

Receba as notícias do Todo Dia no seu e-mail
Captcha obrigatório

Veja Também

Veja Também